O Grupo de Oração Sementes de Maria acontece todos as terça-feiras, as 19:30 com início do Santo Terço, na Capela Rosa Mística, Rua Paulina Maria Alves, 210, Loteamento, Pompéu/MG.

sábado

Evangelho (João 11,45-56)

5ª Semana da Quaresma
— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.


Naquele tempo,
45muitos dos judeus que tinham ido à casa de Maria e viram o que Jesus fizera, creram nele. 46Alguns, porém, foram ter com os fariseus e contaram o que Jesus tinha feito. 47Então os sumos sacerdotes e os fariseus reuniram o Conselho e disseram: “Que faremos? Este homem realiza muitos sinais. 48Se deixamos que ele continue assim, todos vão acreditar nele, e virão os romanos e destruirão o nosso Lugar Santo e a nossa nação”.
49
Um deles, chamado Caifás, sumo sacerdote em função naquele ano, disse: “Vós não entendeis nada. 50Não percebeis que é melhor um só morrer pelo povo do que perecer a nação inteira?” 51Caifás não falou isso por si mesmo. Sendo sumo sacerdote em função naquele ano, profetizou que Jesus iria morrer pela nação. 52E não só pela nação, mas também para reunir os filhos de Deus dispersos. 53A partir desse dia, as autoridades judaicas tomaram a decisão de matar Jesus.
54
Por isso, Jesus não andava mais em público no meio dos judeus. Retirou-se para uma região perto do deserto, para a cidade chamada Efraim. Ali permaneceu com os seus discípulos. 55A Páscoa dos judeus estava próxima. Muita gente do campo tinha subido a Jerusalém para se purificar antes da Páscoa. 56Procuravam Jesus e, ao reunirem-se no Templo, comentavam entre si: “Que vos parece? Será que ele não vem para a festa?”

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

sexta-feira

Evangelho (João 10,31-42)

Sexta-Feira, 30 de Março de 2012
5ª Semana da Quaresma


 
— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.


Naquele tempo,
31os judeus pegaram pedras para apedrejar Jesus. 32E ele lhes disse: “Por ordem do Pai, mostrei-vos muitas obras boas. Por qual delas me quereis apedrejar?”
33
Os judeus responderam: “Não queremos te apedrejar por causa das obras boas, mas por causa de blasfêmia, porque sendo apenas um homem, tu te fazes Deus!” 34Jesus disse: “Acaso não está escrito na vossa Lei: ‘Eu disse: vós sois deuses’?
35
Ora, ninguém pode anular a Escritura: se a Lei chama deuses as pessoas às quais se dirigiu a palavra de Deus, 36por que então me acusais de blasfêmia, quando eu digo que sou Filho de Deus, eu a quem o Pai consagrou e enviou ao mundo? 37Se não faço as obras do meu Pai, não acrediteis em mim. 38Mas, se eu as faço, mesmo que não queirais acreditar em mim, acreditai nas minhas obras, para que saibais e reconheçais que o Pai está em mim e eu no Pai”.
39
Outra vez procuravam prender Jesus, mas ele escapou das mãos deles. 40Jesus passou para o outro lado do Jordão, e foi para o lugar onde, antes, João tinha batizado. E permaneceu ali. 41Muitos foram ter com ele, e diziam: “João não realizou nenhum sinal, mas tudo o que ele disse a respeito deste homem, é verdade”. 42E muitos, ali, acreditaram nele.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Nossa família precisa ser canteiro de santidade


 Hoje é preciso que cada família faça uma “Cruzada” a fim de reconquistar para Deus esse lugar santo que é o nosso lar. A sua família é um lugar santo! Tão santo como o lugar onde Jesus nasceu, morreu, celebrou a Eucaristia, derramou o Espírito Santo, subiu aos céus... É preciso retomar para Deus o que é de Deus. A sua casa é do Senhor.

Nossa casa é um santuário, é o lugar onde Deus quer que a nossa família se santifique. Assim como o templo é santo, nossa casa é santa. Nossa família é e precisa ser canteiro de santidade. Nossa família é como um ninho. Precisamos de um ninho quente, cheio de amor, de afeto, de perdão... santo, caloroso do Espírito!


Deus o abençoe!

Monsenhor Jonas Abib
Fundador da Comunidade Canção Nova

COMO ESTÁ SEU RELACIONAMENTO E COMPROMISSO COM AS PESSOAS ?

“Eu sou de ninguém, eu sou de todo mundo e todo mundo me quer bem..." [referindo-se a uma música]. Muitas vezes, vivemos e cantamos isso, mas o que percebemos no mundo é a falta de um compromisso entre um rapaz e uma moça. A moda é 'ficar'. As pessoas têm medo de ter um relacionamento sério. Somos, por vezes, ignorantes no sentido em que erramos por não saber o que é um namoro. Acha-se que namorar é só beijar na boca, por isso muitos de nós acabamos nos ferindo e ferindo as outras pessoas. Compromisso é algo muito importante dentro de um relacionamento. Compromisso com o outro, consigo mesmo e dentro do ministério.


Precisamos ter em mente a importância de ter um compromisso definitivo. Eu sei que muitas pessoas, muitos músicos, infelizmente, têm que tocar na noite. Não o estou condenando, é o seu trabalho, mas não se deixem poluir pela noite, não se deixe envolver por ela. Busque ter uma vida de oração para que isso seja apenas seu trabalho. Não se comprometa com as obras do mundo, mas com as obras de Deus. Viva com responsabilidade os princípios cristãos. Cuidado para que você não venha a entrar na moda do mundo!”

quinta-feira

Evangelho (João 8,51-59)

Quinta-Feira, 29 de Março de 2012
5ª Semana da Quaresma


— O Senhor esteja convosco. — Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus aos judeus:
51“Em verdade, em verdade eu vos digo: se alguém guardar a minha palavra, jamais verá a morte”. 52Disseram então os judeus: “Agora sabemos que tens um demônio. Abraão morreu e os profetas também, e tu dizes: ‘Se alguém guardar a minha palavra jamais verá a morte’. 53Acaso és maior do que nosso pai Abraão, que morreu, como também os profetas? Quem pretendes ser?”
54
Jesus respondeu: “Se me glorifico a mim mesmo, minha glória não vale nada. Quem me glorifica é o meu Pai, aquele que vós dizeis ser o vosso Deus. 55No entanto, não o conheceis. Mas eu o conheço e, se dissesse que não o conheço, seria um mentiroso, como vós! Mas eu o conheço e guardo a sua palavra. 56Vosso pai Abraão exultou, por ver o meu dia; ele o viu, e alegrou-se”. 57Os judeus disseram-lhe então: “Nem sequer cinquenta anos tens, e viste Abraão!” 58Jesus respondeu: “Em verdade, em verdade vos digo, antes que Abraão existisse, eu sou”. 59Então eles pegaram em pedras para apedrejar Jesus, mas ele escondeu-se e saiu do Templo.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Cuidado! O inimigo é mestre em nos enganar


 A todo instante o inimigo de Deus tenta nos deixar cegos, insensíveis e pensamos que não é bem assim. Na verdade, é o maligno que cega nossos olhos, tapa nossos ouvidos, insensibiliza nosso coração, para que não reconheçamos a maravilha que Deus fez em nós. É pela ação do Espírito Santo que o Senhor tira dos nossos olhos as vendas que causam toda essa insensibilidade, dureza e torpor.

A palavra “predestinação” já mostra que existe um destino para cada um de nós. Justamente por causa disso, a tentação continuamente nos oferece brinquedinhos, coisas que satisfazem a nossa carne e nos dão prazer, "status" e posição social. E assim nos deixamos enganar pelo inimigo por pequenas coisas. Ele é mestre em nos enganar. O diabo nos ilude fazendo-nos acreditar que somos o máximo, que somos capazes de conseguir tudo sozinhos. Até mesmo nos sentirmos superiores a Deus.

Somos chamados à santidade. Todos, sem exceções. É este o nosso primeiro chamado. Esta é a primeira vocação de todo batizado. Peça a Deus a graça de não ser mais enganado.

Deus o abençoe!

Monsenhor Jonas Abib
Fundador da Comunidade Canção Nova

Pecados Capitais: Terapia de Cura do Pecado da Luxúria ou Impureza

O tempo da Quaresma é uma grande revisão de vida para os cristãos, por isso, acho necessário meditarmos sobre os pecados e suas conseqüências em nossas vidas, sempre a luz da Palavra de Deus e da Doutrina de nossa Igreja. Faça a leitura da Palavra de Deus (cf. Marcos 7, 14-23) hoje para você e depois vamos refletir sobre mais um pecado capital: O Papa Bento XVI disse: “O mundo não compreende o pecado”, por isso, é necessário a formação da reta consciência através da pregação e da catequese.


O pecado da Luxuria ou impureza
“É do coração que provêm os maus pensamentos, os homicídios, os adultérios, as impurezas…”
A gravidade do pecado da impureza, também chamado de luxúria, é que mancha um membro de Cristo. “Ora, vós sois o corpo de Cristo e cada um de sua parte, é um dos seus membros” (1Cor 12,27).
“Não sabeis que vossos corpos são membros de Cristo?” (1 Cor 6,15).
“Tomarei, então, os membros de Cristo, e os farei membros de uma prostituta? Ou não sabeis que o que se ajunta a uma prostituta se torna um só corpo com ela? Está escrito: Os dois serão uma só carne (Gen 2,24)” (1 Cor 6,16). Toda vez que eu peco, o meu pecado atinge todo o corpo de Cristo. De forma especial isso ocorre no pecado da impureza; o que levava São Paulo a pedir aos coríntios, dentre os quais havia esse problema: “Fugi da fornicação. Qualquer outro pecado que o homem comete é fora do corpo, mas o impuro peca contra o seu próprio corpo” (1 Cor 6,18).
São Paulo ensina que devemos dar glória a Deus com o nosso corpo. “O corpo, porém, não é para a impureza, mas para o Senhor e o Senhor para o Corpo: Deus que ressuscitou o Senhor, também nos ressuscitará a nós pelo seu poder” (1Cor 6,13). “Glorificai, pois, a Deu s no vosso corpo” (1 Cor 6,20). Nosso corpo está destinado a ressuscitar no último dia, glorioso como o corpo de Cristo ressuscitado. “Nós, porém, somos cidadãos dos céus. É de lá que ansiosamente esperamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo, que transformará nosso mísero corpo tornando-o semelhante ao seu corpo glorioso…” (Fl 3,20).
Isso explica a importância do nosso corpo, que levava Paulo a dizer aos coríntios: “Se alguém destruir o templo de Deus, Deus o destruirá. Porque o templo de Deus é sagrado – e isto sois vós” (1 Cor 3,16-17). Jesus foi intransigente com o pecado da impureza. No Sermão da Montanha, Ele disse: “Todo aquele que lançar um olhar de cobiça para uma mulher, já adulterou com ela em seu coração” (Mt 5,27-28). O Senhor quer assim destruir a impureza na sua raiz; isto é, no coração dos nossos pensamentos.
“Porque é do coração que provêm os maus pensamentos, os homicídios, os adultérios, as impurezas, os furtos, os falsos testemunhos, as calúnias” (Mt 15,19).
Para viver a pureza há, então, que estarmos em alerta o tempo todo, como nos recomendou o Senhor: “Vigiai e orai para que não entreis em tentação. O espírito está pronto, mas a carne é fraca” (Mt 26,41). Todos nós já pudemos comprovar como é fraca a natureza humana, enfraquecida pelo pecado original. Após o pecado de Adão não nos resta outro remédio: vigiar os nossos sentidos, pensamentos, olhares, gestos, palavras, atitudes, comportamentos, etc., e buscar na oração e nos sacramentos o remédio e o alimento para vencer a nossa fraqueza.
São terríveis as consequências da vida sexual antes ou fora do casamento: adolescentes grávidas, sem o mínimo preparo para serem mães; pais solteiros, filhos abandonados e “órfãos de pais vivos”, abortos, adultérios, destruição familiar, doenças venéreas, AIDS etc. O sexo é belo, mas fora do plano de Deus é um desastre, explode como uma bomba atômica.

quarta-feira

Evangelho (João 8,31-42)

5ª Semana da Quaresma


— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.


Naquele tempo,
31Jesus disse aos judeus que nele tinham acreditado: “Se permanecerdes na minha palavra, sereis verdadeiramente meus discípulos, 32e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará”.
33
Responderam eles: “Somos descendentes de Abraão, e nunca fomos escravos de ninguém. Como podes dizer: ‘Vós vos tornareis livres’?”
34
Jesus respondeu: “Em verdade, em verdade vos digo, todo aquele que comete pecado é escravo do pecado. 35O escravo não permanece para sempre numa família, mas o filho permanece nela para sempre. 36Se, pois, o Filho vos libertar, sereis verdadeiramente livres. 37Bem sei que sois descendentes de Abraão; no entanto, procurais matar-me, porque a minha palavra não é acolhida por vós. 38Eu falo o que vi junto do Pai; e vós fazeis o que ouvistes do vosso pai”.
39
Eles responderam então: “Nosso pai é Abraão”. Disse-lhes Jesus: “Se sois filhos de Abraão, praticai as obras de Abraão! 40Mas agora, vós procurais matar-me, a mim, que vos falei a verdade que ouvi de Deus. Isto, Abraão não o fez. 41Vós fazeis as obras do vosso pai”.
Disseram-lhe, então: “Nós não nascemos do adultério, temos um só pai: Deus”. 42Respondeu-lhes Jesus: “Se Deus fosse vosso Pai, certamente me amaríeis, porque de Deus é que eu saí, e vim. Não vim por mim mesmo, mas foi ele que me enviou”.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Primeira leitura (Daniel 3,14-20.24.49a.91-92.95)

Quarta-Feira, 28 de Março de 2012



Leitura da Profecia de Daniel.

Naqueles dias,
14o rei Nabucodonosor tomou a palavra e disse: “É verdade, Sidrac, Misac e Abdênago, que não prestais culto a meus deuses e não adorais a estátua de ouro que mandei erguer? 15E agora, quando ouvirdes tocar trombeta, flauta, cítara, harpa, saltério e gaitas, e toda espécie de instrumentos, estais prontos a prostrar-vos e adorar a estátua que mandei fazer? Mas, se não fizerdes adoração, no mesmo instante sereis atirados na fornalha de fogo ardente; e qual é o deus que poderá libertar-vos de minhas mãos?”
16
Sidrac, Misac e Abdênago responderam ao rei Nabucodonosor: “Não há necessidade de te respondermos sobre isto: 17se o nosso Deus, a quem rendemos culto, pode livrar-nos da fornalha de fogo ardente, ele também poderá libertar-nos de tuas mãos, ó rei. 18Mas, se ele não quiser libertar-nos, fica sabendo, ó rei, que não prestaremos culto a teus deuses e tampouco adoraremos a estátua de ouro que mandaste fazer”.
19
A estas palavras, Nabucodonosor encheu-se de cólera contra Sidrac, Misac e Abdênago, a ponto de se alterar a expressão do rosto; deu ordem para acender a fornalha com sete vezes mais fogo que de costume; 20e encarregou os soldados mais fortes do exército para amarrarem Sidrac, Misac e Abdênago e os lançarem na fornalha de fogo ardente.
24
Os três jovens andavam de cá para lá no meio das chamas, entoando hinos a Deus e bendizendo ao Senhor. 49aMas o anjo do Senhor tinha descido simultaneamente na fornalha para junto de Azarias e seus companheiros.
91
O rei Nabucodonosor, tomado de pasmo, levantou-se apressadamente, e perguntou a seus ministros: “Porventura, não lançamos três homens bem amarrados no meio fogo?” Responderam ao rei: “É verdade, ó rei”. 92Disse este: “Mas eu estou vendo quatro homens andando livremente no meio do fogo, sem sofrerem nenhum mal, e o aspecto do quarto homem é semelhante ao de um filho de Deus”.
95
Exclamou Nabucodonosor: “Bendito seja o Deus de Sidrac, Misac e Abdênago que enviou seu anjo e libertou seus servos, que puseram nele sua confiança e transgrediram o decreto do rei, preferindo entregar suas vidas a servir e adorar qualquer outro Deus que não fosse o seu Deus.

- Palavra do Senhor.
- Graças a Deus.

terça-feira

Evangelho (João 8,21-30)

Terça-Feira, 27 de Março de 2012
5ª Semana da Quaresma





— O Senhor esteja convosco.— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.



Naquele tempo disse Jesus aos fariseus:
21“Eu parto, e vós me procurareis, mas morrereis no vosso pecado. Para onde eu vou, vós não podeis ir”.
22
Os judeus comentavam: “Por acaso, vai-se matar? Pois ele diz: ‘Para onde eu vou, vós não podeis ir’?”
23
Jesus continuou: “Vós sois daqui debaixo, eu sou do alto. Vós sois deste mundo, eu não sou deste mundo. 24Disse-vos que morrereis nos vossos pecados, porque, se não acreditais que eu sou, morrereis nos vossos pecados”.
25
Perguntaram-lhe pois: “Quem és tu, então?” Jesus respondeu: “O que vos digo, desde o começo. 26Tenho muitas coisas a dizer a vosso respeito, e a julgar, também. Mas aquele que me enviou é fidedigno, e o que ouvi da parte dele é o que falo para o mundo”.27Eles não compreenderam que lhes estava falando do Pai. 28Por isso, Jesus continuou: “Quando tiverdes elevado o Filho do Homem, então sabereis que eu sou, e que nada faço por mim mesmo, mas apenas falo aquilo que o Pai me ensinou. 29Aquele que me enviou está comigo. Ele não me deixou sozinho, porque sempre faço o que é de seu agrado”. 30Enquanto Jesus assim falava, muitos acreditaram nele.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Entenda o significado do Domingo de Ramos


O Domingo de Ramos marca o início da Semana Santa, que mistura os gritos de hosanas com os clamores da Paixão de Cristo. O povo acolheu Jesus agitando seus ramos de oliveiras e palmeiras. Os ramos significam a vitória: "Hosana ao Filho de Davi: bendito seja o que vem em nome do Senhor, o Rei de Israel; hosana nas alturas".

 
Os ramos apresentados pelo povo nos remetem ao sacramento do batismo, por intermédio do qual nos tornamos filhos de Deus e responsáveis pela missão da nossa Igreja. E o ato de levarmos os ramos para casa nos lembra que estamos unidos a Cristo na luta pela salvação do mundo.

A Procissão de Ramos tem como objetivo apresentar a peregrinação que cada cristão realiza sobre a Terra buscando a vida eterna ao lado do Senhor. Esse ato nos faz relembrar que somos peregrinos neste mundo e que o céu é o lugar de onde viemos e para onde devemos voltar.

Por fim, a Santa Missa do Domingo de Ramos traz a narrativa de São Lucas sobre a Paixão de Jesus: Sua angústia mortal no Horto das Oliveiras, o Sangue vertido com o suor, o beijo traiçoeiro de Judas, a prisão, os maus-tratos nas mãos dos soldados na casa de Anãs, Caifás; Seu julgamento iníquo diante de Pilatos, depois, diante de Herodes, Sua condenação, o povo a vociferar “crucifica-o, crucifica-o”; as bofetadas, as humilhações, o caminho percorrido até o Calvário, a ajuda do homem cirineu, o consolo das santas mulheres, o terrível madeiro da cruz, o diálogo d'Ele com o bom ladrão, Sua morte e sepultura.

O Mestre nos ensina com fatos e exemplos que o Seu Reino, de fato, não é deste mundo. Que Ele não veio para derrubar César e Pilatos, mas para derrubar um inimigo muito pior e invisível, o pecado. E para isso é preciso se imolar; aceitar a Paixão, passar pela morte para destruí-la; perder a vida para ganhá-la.

Professor Felipe Aquino

Agradeça ao Senhor pelo dom de sua vida





 Deus sempre está ao nosso lado como um Pai amoroso. Por que nos inquietarmos? Por que perder a paz e o otimismo?

Deixemo-nos hoje penetrar por esta ordem que Jesus deu aos discípulos e a nós também:
”Não se perturbe o vosso coração. Tendes fé em Deus, tendes fé em mim também” (Jo 14,1).
Quando a fé ocupa toda a nossa vida: presente, passado e futuro, e nos entregamos radicalmente nas mãos de Deus Pai, tornamo-nos pessoas entusiasmadas e otimistas. Essa entrega nas mãos do Pai nos dá uma paz inabalável, mesmo em meio aos problemas. O belo de tudo é que, com isso, a nossa postura diante das dificuldades não é mais a mesma. Nós nos tornamos homens e mulheres de louvor, cheios de gratidão para com Deus por tudo o que temos vivido.
Iniciemos este dia agradecendo ao Senhor por termos acordado, pelo dom da vida, pelo repouso da noite e por toda a graça que o Senhor nos concede neste começo de dia. Tudo o que nos acontecer de bom ou de mau ao longo do dia

Amar é querer bem!





Ouvimos e falamos muito sobre o amor, sobre o seu significado, sua importância e como demonstrá-lo. Criamos diversas maneiras de expressar esse sentimento, de fazê-lo vivo em nossos relacionamentos. Falamos do amor de Deus. Porém, se formos descrever o que é amar, uma resposta simples e exata talvez não seja encontrada imediatamente. Então, o que é amar afinal? Amar nada mais é do que querer bem. É de nossa natureza desejar bem a quem amamos, às pessoas que estão à nossa volta e que nos são queridas. Mas se é assim, por que invadimos a liberdade do outro, impomos limites e regras que podem desrespeitá-lo de alguma forma, querendo que tudo seja feito do nosso jeito? Desta forma, acabamos causando a infelicidade dele e nos contrapomos à realidade de amar.

Só seremos capazes de sanar as faltas afetivas de nossos corações se permitirmos a ação do Espírito Santo em nosso ser, pois sem Ele é impossível. Só assim estaremos abertos para nossa grande missão que é o amor. Jesus nos deixou este mandamento: “Amai-vos uns aos outros como Eu vos amo” (Jo 15,21). Não é preciso exemplo maior de amor do que o de nosso Senhor: amor incondicional, sem cobranças, sem interesses. É Ele quem nos pede para amarmos de tal maneira, para termos um sentimento puro e isento de interesses próprios.
“Só seremos capazes de sanar as faltas afetivas de nossos corações se permitirmos a ação do Espírito Santo em nosso ser”
Temos de Deus, por amor, uma auxiliadora: Maria Santíssima. Com Sua simplicidade, doçura, pureza e amor, Ela nos ensina o novo de Deus. Foi esse amor ao Pai que a fez prosseguir ao lado de Seu Filho na Cruz, onde Ela sofreu com amor e por amor.
Como diz uma música, a menor intenção de ser melhor já é amor. Então, o que temos a oferecer aos outros é aquilo que de melhor possuímos; e mesmo que consideremos pouco, em Deus se torna o nosso maior e melhor amor.
Nascemos para amar. Ser amado é consequência, pois, como nos diz Jesus, “viemos ao mundo para servir,  não para sermos servidos”. Precisamos amar verdadeiramente, mesmo que isso não nos traga nenhum acréscimo ao ego, nenhum retorno. Devemos ter no coração o sentimento de simplesmente, de querer bem ao outro e sermos capazes de doar nosso sangue, se preciso for, por aqueles que amamos. Também não podemos hesitar em nos entregar a Quem que nos ensinou o amor e nos amou primeiro.
Paz e bem!
 
Um abraço fraterno.

segunda-feira

Evangelho (Lucas 1,26-38)

Segunda-Feira, 26 de Março de 2012
Anunciação do Senhor


 
— O Senhor esteja convosco.— Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor!

Naquele tempo,
26o anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galileia, chamada Nazaré, 27a uma virgem, prometida em casamento a um homem chamado José. Ele era descendente de Davi e o nome da Virgem era Maria. 28O anjo entrou onde ela estava e disse: “Alegra-te, cheia de graça, o Senhor está contigo!”
29
Maria ficou perturbada com estas palavras e começou a pensar qual seria o significado da saudação. 30O anjo, então, disse-lhe: “Não tenhas medo, Maria, porque encontraste graça diante de Deus. 31Eis que conceberás e darás à luz um filho, a quem porás o nome de Jesus. 32Ele será grande, será chamado Filho do Altíssimo, e o Senhor Deus lhe dará o trono de seu pai Davi. 33Ele reinará para sempre sobre os descendentes de Jacó, e o seu reino não terá fim”.
34
Maria perguntou ao anjo: “Como acontecerá isso, se eu não conheço homem algum?” 35O anjo respondeu: “O Espírito virá sobre ti, e o poder do Altíssimo te cobrirá com sua sombra. Por isso, o menino que vai nascer será chamado Santo, Filho de Deus. 36Também Isabel, tua parenta, concebeu um filho na velhice. Este já é o sexto mês daquela que era considerada estéril, 37porque para Deus nada é impossível”. 38Maria, então, disse: “Eis aqui a serva do Senhor; faça-se em mim segundo a tua palavra!” E o anjo retirou-se.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Primeira leitura (Isaías 7,10-14; 8,10)

Segunda-Feira, 26 de Março de 2012
Anunciação do Senhor


 
Leitura do Profeta Isaías.

Naqueles dias, 10o Senhor falou com Acaz, dizendo: 11“Pede ao Senhor teu Deus que te faça ver um sinal, quer provenha da profundeza da terra, quer venha das alturas do céu”. 12Mas Acaz respondeu: “Não pedirei nem tentarei o Senhor”. 13Disse o profeta: “Ouvi então, vós, casa de Davi; será que achais pouco incomodar os homens e passais a incomodar até o meu Deus? 14Pois bem, o próprio Senhor vos dará um sinal. Eis que uma virgem conceberá e dará à luz um filho, e lhe porá o nome de Emanuel, 8,10porque Deus está conosco.

- Palavra do Senhor.
- Graças a Deus.

Comemoramos hoje o dia da Anunciação do Senhor


Neste dia, a Igreja festeja solenemente o anúncio da Encarnação do Filho de Deus. O tema central desta grande festa é o Verbo Divino que assume nossa natureza humana, sujeitando-se ao tempo e espaço.

Hoje é o dia em que a eternidade entra no tempo ou, como afirmou o Papa São Leão Magno:
"A humildade foi assumida pela majestade; a fraqueza, pela força; a mortalidade, pela eternidade."

Com alegria contemplamos o mistério do Deus Todo-Poderoso, que na origem do mundo cria todas as coisas com sua Palavra, porém, desta vez escolhe depender da Palavra de um frágil ser humano, a Virgem Maria, para poder realizar a Encarnação do Filho Redentor:


"No sexto mês, o anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galileia, chamada Nazaré, a uma virgem e disse-lhe: ‘Ave, cheia de graça, o Senhor é contigo.’ Não temas , Maria, conceberás e darás à luz um filho, e lhe porás o nome de Jesus. Maria perguntou ao anjo: ‘Como se fará isso, pois não conheço homem?’ Respondeu-lhe o anjo:’ O Espírito Santo descerá sobre ti. Então disse Maria: ‘Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a tu palavra’" (cf. Lc 1,26-38).


Sendo assim, hoje é o dia de proclamarmos: "E o Verbo se fez carne e habitou entre nós" (Jo 1,14a). E fazermos memória do início oficial da Redenção de TODOS, devido à plenitude dos tempos. É o momento histórico, em que o SIM do Filho ao Pai precedeu o da Mãe: "Então eu disse: Eis que venho (porque é de mim que está escrito no rolo do livro), venho, ó Deus, para fazer a tua vontade" (Hb 10,7). Mas não suprimiu o necessário SIM humano da Virgem Santíssima.


Cumprindo desta maneira a profecia de Isaías: "Por isso, o próprio Senhor vos dará um sinal: uma virgem conceberá e dará à luz um filho, e o chamará Deus Conosco" (Is 7,14). Por isso rezemos com toda a Igreja:


"Ó Deus, quisestes que vosso Verbo se fizesse homem no seio da Virgem Maria; dai-nos participar da divindade do nosso Redentor, que proclamamos verdadeiro Deus e verdadeiro homem. Por nosso Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo".

Quando devemos falar com Deus?

Deus fala conosco em qualquer lugar em que estejamos e nós também podemos falar com Ele de qualquer lugar. Sempre e em todo momento a hora é oportuna para elevarmos o nosso coração ao Senhor: na alegria, na tristeza, nas vitórias, nas quedas, na abundância, na penúria, na saúde, na doença…
O Senhor é o “Deus Conosco” sempre e com Ele sempre podemos contar. Muitas vezes, as pessoas por quem temos uma enorme consideração nos deixam na mão nos momentos em que mais precisamos delas, mas com o Todo-poderoso é diferente.
“Pode uma mulher esquecer-se daquele que amamenta? Não ter ternura pelo fruto de suas entranhas? E mesmo que ela o esquecesse, eu não te esqueceria nunca. Eis que estás gravada na palama da minha mão” (Is 49, 15-16a).
Mantenhamos hoje, ao longo de todo este dia, o nosso coração unido a Deus Pai e recorramos a Ele em todos os momentos.
Jesus, eu confio em Vós!

domingo

Evangelho (João 12,20-33)

Domingo, 25 de Março de 2012
5º Domingo da Quaresma






— O Senhor esteja convosco.— Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo, + segundo João.
— Glória a vós, Senhor!

Naquele tempo,
20havia alguns gregos entre os que tinham subido a Jerusalém, para adorar durante a festa.
21
Aproximaram-se de Filipe, que era de Betsaida da Galileia, e disseram: “Senhor, gostaríamos de ver Jesus”.
22
Filipe combinou com André, e os dois foram falar com Jesus.
23
Jesus respondeu-lhes: “Chegou a hora em que o Filho do Homem vai ser glorificado. 24Em verdade, em verdade vos digo: Se o grão de trigo que cai na terra não morre, ele continua só um grão de trigo; mas, se morre, então produz muito fruto.
25
Quem se apega à sua vida, perde-a; mas quem faz pouca conta de sua vida neste mundo, conservá-la-á para a vida eterna.
26
Se alguém me quer servir, siga-me, e onde eu estou estará também o meu servo. Se alguém me serve, meu Pai o honrará.
27
Agora sinto-me angustiado. E que direi? ‘Pai, livra-me desta hora?’ Mas foi precisamente para esta hora que eu vim. 28Pai, glorifica o teu nome!”
Então veio uma voz do céu: “Eu o glorifiquei e glorificarei de novo!”
29
A multidão, que aí estava e ouviu, dizia que tinha sido um trovão. Outros afirmavam: “Foi um anjo que falou com ele”.
30
Jesus respondeu e disse: “Essa voz que ouvistes não foi por causa de mim, mas por causa de vós. 31É agora o julgamento deste mundo. Agora o chefe deste mundo vai ser expulso, 32e eu, quando for elevado da terra, atrairei todos a mim”.
33
Jesus falava assim para indicar de que morte iria morrer”.

- Palavra da Salvação.

- Glória a vós, Senhor.

Cada um de nós tem um lugar único


Quando compramos algo e não temos como efetuar o pagamento à vista, damos um adiantamento, fazemos um parcelamento. O “adiantamento” que o Senhor está nos dando é a graça do derramamento do Espírito Santo. Deus está nos dando um “adiantamento” daquilo que será a nossa herança.

O Espírito Santo Paráclito é o penhor da nossa herança. Muitas vezes, somos obrigados a penhorar um bem para conseguir comprar outro. Para comprar um carro, por exemplo, é preciso provar a sua renda e, muitas vezes, é exigido um penhor – algo que sirva de garantia de que você pagará aquele carro –, às vezes, é a casa, um terreno, algo valioso. Na verdade, muitas vezes, ele [o penhor] acaba sendo mais valioso que o próprio carro que se deseja comprar.


O Senhor quer nos dar a certeza de que receberemos a nossa herança: os Céus Novos e uma Terra Nova. Por isso Ele penhorou um bem maior: o Seu Espírito Santo, que Ele está derramando, sem medida sobre nós. Cada um de nós tem um lugar único, e somos convocados a ocupá-lo. Ele virá para implantar o Seu Reino e somos escolhidos para fazer parte dele.


Deus o abençoe!


Monsenhor Jonas Abib

Fundador da Comunidade Canção Nova

sábado

Evangelho (João 7,40-53)

Sábado, 24 de Março de 2012
4ª Semana da Quaresma
 

 

 
— O Senhor esteja convosco.— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo,
40ao ouvirem as palavras de Jesus, algumas pessoas diziam: “Este é, verdadeiramente, o Profeta”. 41Outros diziam: “Ele é o Messias”. Mas alguns objetavam: “Porventura o Messias virá da Galileia? 42Não diz a Escritura que o Messias será da descendência de Davi e virá de Belém, povoado de onde era Davi?”
43
Assim, houve divisão no meio do povo por causa de Jesus. 44Alguns queriam prendê-lo, mas ninguém pôs as mãos nele. 45Então, os guardas do Templo voltaram para os sumos sacerdotes e os fariseus, e estes lhes perguntaram: “Por que não o trouxestes?”
46
Os guardas responderam: “Ninguém jamais falou como este homem”. 47Então os fariseus disseram-lhes: “Também vós vos deixastes enganar? 48Por acaso algum dos chefes ou dos fariseus acreditou nele? 49Mas esta gente que não conhece a Lei, é maldita!”
50
Nicodemos, porém, um dos fariseus, aquele que se tinha encontrado com Jesus anteriormente, disse: 51“Será que a nossa Lei julga alguém, antes de o ouvir e saber o que ele fez?” 52Eles responderam: “Também tu és galileu, porventura? Vai estudar e verás que da Galileia não surge profeta”. 53E cada um voltou para sua casa.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Lançamento da Logomarca da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) Rio 2013


A Igreja Católica comemorou, na noite de 7 de fevereiro, o lançamento da Logomarca da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) Rio2013.
O vencedor do Concurso que definiria a identidade visual da JMJ no Rio foi o webdesigner Gustavo Huguenin, de 25 anos.
Gustavo explica que, na logomarca, o conceito da imagem tem base no trecho da Palavra do Evangelho de São Mateus, expressando uma referência direta à imagem de Jesus e ao sentido do discípulo.
Os elementos do símbolo, que formam a imagem central de um coração, representam a fé dos povos. O coração assumiu papel central, assim como o Brasil será o centro da juventude na Jornada Mundial. Também designa o homem interno por inteiro, se tornando nesta composição a referência aos discípulos que possuem Jesus em seus corações.
Os braços do Cristo Redentor ultrapassam a figura do coração, como o abraço acolhedor de Deus aos povos e jovens que estarão no Brasil. Representa nossa acolhida, como povo de coração generoso e hospitaleiro.
A parte superior (em verde) foi inspirada nos traços do Pão de Açúcar, símbolo universal da cidade do Rio de Janeiro, e a cruz contida nela reforça o sentido do território brasileiro conhecido por Terra de Santa Cruz. As formas que finalizam a imagem do coração possuem a cor azul, representando o litoral, somada ao verde e amarelo que transmitem a brasilidade das cores da bandeira nacional.
O jovem relata que tinha a esperança de que seu trabalho ficasse entre os finalistas, mas não esperava que fosse ser o vencedor.
“Quase não consegui participar. Enviei meu trabalho no último dia, mas pra mim havia sido tão forte aquela criação que fiz de tudo, parei, corri o que foi possível para não perder essa oportunidade e acabei surpreendido com a notícia de que havia vencido. Fui escolhido com a graça de Deus”, afirmou Gustavo.
O autor da imagem é natural de Cantagalo (RJ) e pertencente à Diocese de Nova Friburgo. Formado em design gráfico, Gustavo é formado pelo Instituto Federal Fluminense (IFF). “Para mim é alegria imensa saber que o meu trabalho vai ser usado no maior evento católico do mundo, ainda mais com Santo Padre, e que essa imagem estará associada ao encontro pessoal que os jovens do mundo inteiro terão com Jesus Cristo na JMJ Rio2013″, destacou o designer.
O evento aconteceu, às 20h, no auditório do Edifício João Paulo II, no bairro da Glória, no Rio de Janeiro (RJ), onde está localizada o sede do Comitê. No local, mais de 100 bispos de todo o Brasil estavam presentes; além de autoridades e representantes da sociedade.

Eis-me aqui, senhor!


Certamente, você já sentiu um “chamado” algumas vezes, mas não sabe de onde veio. Como alguém chamando pelo seu nome, mas quando você olhava para responder (ou ver de onde vinha a voz) não encontrava nada nem ninguém. Era apenas uma impressão. Outras vezes, você sabe de onde está vindo a voz, mas está deitado no sofá, quase cochilando, entrando num sonho… De repente, escuta sua mãe o chamando para lavar louça ou seu pai pedindo um favor. Você, então, sente vontade de continuar deitado, de fingir que não escutou, mas sabe que, se não levantar correndo e ver o que eles querem, será castigado.
Na Bíblia, primeiro Livro de Samuel 3, 2–10, Samuel estava dormindo e ouviu uma voz que o chamava; por três vezes ele se levantou e foi ver com Eli por que o convocava, porém não era Eli quem dizia o nome do jovem. Quando Samuel compreendeu que  era Deus quem o chamava, respondeu imediatamente: “Fala, Senhor, que teu servo escuta!”. Nesse momento, Samuel estava dizendo a Deus: “Eis-me aqui”. Apesar de estar bem em sua cama, ele atendeu ao chamado do Senhor, respondendo-Lhe prontamente.
Quantas vezes, em nossa zona de conforto, ouvimos Deus nos chamando, mas não O atendemos de prontidão? Às vezes, até sentimos aquele toque no coração de “eu preciso fazer, preciso responder”, mas nossa preguiça acaba nos vencendo e continuamos no nosso comodismo.
O que nos impede de atender ao chamado de Deus é o nosso apego ao comodismo, o medo da mudança e, principalmente, de deixar de lado a nossa vontade e passar a viver inteiramente do querer de Deus.
Outra passagem da Bíblia que nos mostra o chamado do Senhor está em Mateus 14, 24–31. Quando Jesus está caminhando sobre as águas, Pedro pede para ir ao Seu encontro, caminhando também pela água; e o Senhor lhe diz :”venha”. Pedro vai, contudo, no caminho, perde a confiança em Deus e fica com medo; então, começa a afundar, mas Jesus o salva. É isso que nos acontece quando estamos caminhando na estrada de Deus, vivendo da vontade d’Ele; de repente, ficamos com medo e começamos a afundar, porque queremos fazer do nosso jeito, com nossas próprias forças, mas Jesus nos surpreende com a frase “homens de pouca fé, por que duvidastes?”.
Por que duvidar do Deus do impossível? Não há razão para isso.
Deixemo-nos, hoje, sermos conduzidos pelo querer de Deus, responder-Lhe somente “eis-me aqui” e deixá-Lo fazer em nós Seus planos, pois é o que há de melhor para nós. Saiamos da nossa zona de conforto, do nosso comodismo e nos coloquemos à disposição do Senhor.
Sejamos, sem medo, “barco a vela solto pelo mar…”

Os sofrimentos são oportunidades para recomeçar



O tempo da Quaresma, na prática do cristão, é como a chegada de uma nova vida. É um processo que chamamos de conversão, de transformação, transfiguração e de novo começo. Tudo isso acontece levando-se em conta a forma de vida de Jesus Cristo. É um caminho de vitória, mas que passa pelos compromissos da cruz.
Não é fácil entender o amor de Cristo na cruz, porque nossa cabeça é feita pelo mundo em que vivemos. A palavra “mundo” relativiza aquilo que é relacionado com a palavra “céu”. Deus amou o mundo dando-nos o próprio Filho para nos trazer as condições de vida digna. Isso aconteceu no Seu gesto de doação que culminou na cruz. Dizemos que o mundo é bom. Ele é a natureza onde Deus mora. Até dizemos que ele é bom e nós é que somos ruins. Nós é que o destruímos pelas estruturas perversas, por más administrações, pela corrupção de toda ordem, pela corrida ofegante pelo poder e a busca desenfreada de satisfações momentâneas.


Ter um novo nascimento é fazer acontecer a partilha e a fraternidade verdadeiras, participar da mesa comum fazendo a vontade de Deus “assim na terra como no céu”. Nesta dimensão, os sofrimentos nunca podem ser entendidos como castigo de Deus, mas sim condições de uma doação constante em busca de saúde e vida. Muitas de nossas práticas de hoje nos tornam impuros e indignos de participar do “Banquete do Senhor”. Deixamos que a injustiça nos domine e de ser fiéis aos princípios da vida, “fazendo como todo o mundo faz”. Neste contexto, as ações do cristão devem fazer a diferença no cumprimento da vontade de Deus.
Jesus fala em “nascer de novo”, que acontece na força da cruz. É uma questão de fé, porque quem não crer n'Ele, vai acreditar na força do dinheiro, do poder, do prestígio, da fama e da competição. Crer em Jesus é crer na cruz. O mundo da arrogância odeia a luz e a cruz, e perde o sentido verdadeiro da vida e da verdade.

Dom Paulo Mendes Peixoto
Arcebispo de Uberaba - MG

sexta-feira

Evangelho (João 7,1-2.10.25-30)

Sexta-Feira, 23 de Março de 2012
4ª Semana da Quaresma


 
— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.


Naquele tempo,
1Jesus andava percorrendo a Galileia. Evitava andar pela Judeia, porque os judeus procuravam matá-lo. 2Entretanto, aproximava-se a festa judaica das Tendas. 10Quando seus irmãos já tinham subido, então também ele subiu para a festa, não publicamente mas sim como que às escondidas.
25
Alguns habitantes de Jerusalém disseram então: “Não é este a quem procuram matar? 26Eis que fala em público e nada lhe dizem. Será que, na verdade, as autoridades reconheceram que ele é o Messias? 27Mas este, nós sabemos donde é. O Cristo, quando vier, ninguém saberá donde ele é”.
28
Em alta voz, Jesus ensinava no Templo, dizendo: “Vós me conheceis e sabeis de onde sou; eu não vim por mim mesmo, mas o que me enviou é fidedigno. A esse, não o conheceis, 29mas eu o conheço, porque venho da parte dele, e ele foi quem me enviou”.
30
Então, queriam prendê-lo, mas ninguém pôs a mão nele, porque ainda não tinha chegado a sua hora.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

À procura de Deus

A Jesus se vai não para negociar milagres ou favores

Os Evangelhos mostram Jerusalém como a meta do caminho de Jesus. Lá Cristo se entregou até o fim, morreu e ressuscitou. E justamente no centro do culto e da doutrina, onde se achava o Templo, não foi acolhido. Muitos se aproximam do Senhor, mas aparecem logo os contrastes. Há grupos que fazem perguntas ao Senhor, mas, no fundo, estão mais interessados em preparar-Lhe armadilhas. “Com que autoridade fazes isso?” (Mc 11,29), perguntam-Lhe instigados pela ação d'Ele, que purifica o Templo. Provocam-no a respeito do tributo a César (cf. Mc 12,13-17), querem saber do mandamento mais importante, os saduceus O questionam sobre a ressurreição dos mortos (cf. Mc 12, 18-27).
Da Jerusalém do mistério pascal de Cristo brotou o anúncio de Seu nome e da salvação que Ele oferece, percorrendo as estradas ou atalhos da história. Naquela cidade se revelaram os recônditos do coração humano que busca Deus. Sabemos que muitos foram de longe para conhecê-Lo. Lá no início, foram homens vindos do Oriente, viajando atrás de uma estrela. No decorrer da vida pública de Jesus, eram cegos, surdos, mudos, coxos, aleijados, prostitutas, publicanos e outras classes de pecadores públicos. Acorriam a Ele escribas e fariseus, pobres e ricos, maus e bons. Afinal, o convite era dirigido a todos! As decisões das pessoas foram tomadas pouco a pouco. E nos séculos e milênios que se seguiram, muitos O procuram. E nós fazemos parte da incontável multidão dos que são sedentos de Deus!
Em Jerusalém, quando estava para se concluir a atividade de Jesus Nazareno, abre-se uma janela para a conversão dos pagãos! São homens que se dirigiram à cidade para a festa. Chega a hora da glorificação do Senhor! Pela Paixão e Morte Cristo chegará à glória, como ilustra a comparação do grão de trigo, sepultado na terra para dar fruto. A mesma sorte caberá aos seguidores de Jesus Ressuscitado, que hão de acompanhá-Lo aonde quer que ele vá: à cruz e à glória. Revistamo-nos da pele daqueles estrangeiros que se aproximaram dos apóstolos, desejando ver Jesus (cf. Jo 12,20-33), para descobrir dentro de nós mesmos e em tantas pessoas as perguntas autênticas.


Há coleções de livros que retratam vidas célebres. Posto ao lado de personagens históricos, pode até parecer que Jesus Cristo seja apenas um mestre a mais, dentre tantos outros. Sua sabedoria viria a ser comparada com outras figuras que marcaram época. Os cristãos sabem que Ele é infinitamente maior do que qualquer sábio de qualquer tempo. O que atraiu os estrangeiros que foram aos apóstolos querendo “ver Jesus” foi a originalidade d'Ele. O "ver", no Evangelho de São João, é aproximar-se para crer! Crer é mais do que curiosidade, mais do que a emoção, muito mais do que um vago sentimento religioso.
A Jesus se vai não para negociar milagres ou favores. Diante d'Ele caem todas as provocações e eventuais exigências ou cobranças. Desconcertadas ficaram todas as pessoas que O procuravam para provocá-Lo. Intrigados ficaram todos os "Pilatos" ou os "Herodes" da história. Nos Sinédrios e Tribunais de todos os tempos, que se reuniram para analisar a doutrina d'Ele ou julgá-Lo, mesmo quando O condenaram, ou aos Seus discípulos, deixou-lhes dentro do coração o terrível incômodo de não terem aderido à verdade que se apresentava (cf. Mt 27,11-26; Jo 18,28 –19,16). Ele lhes escapa sempre, continuando o caminho, como fez em Nazaré (cf. Lc 4,30).
“Jesus Cristo é a Boa Nova da salvação comunicada aos homens de ontem, de hoje e de sempre; mas, ao mesmo tempo, Ele é também o primeiro e supremo evangelizador. A Igreja deve colocar o centro da sua atenção pastoral e da sua ação evangelizadora em Cristo crucificado e ressuscitado. Tudo o que se projeta na Igreja deve partir de Cristo e do Seu Evangelho. Por isso, ela deve falar cada vez mais de Jesus Cristo, rosto humano de Deus e rosto divino do homem. É este anúncio que verdadeiramente mexe com os homens, que desperta e transforma os ânimos, ou seja, que converte. É preciso anunciar Cristo com alegria e fortaleza, mas, sobretudo com o testemunho da própria vida” (Ecclesia in America 67).
A todos os interlocutores, sinceros ou não, Jesus se apresenta como aquele que é o Caminho, a Verdade e a Vida. Será sempre nova e provocante a caridade que O levou a entregar-se à morte no Seu amor pelo mundo! Não dá para ficar indiferente diante d'Ele. Quero homenagear as pessoas inquietas, que desejam saber mais, aquelas que têm no coração muitas perguntas que perturbam e para as quais só Deus é a resposta. Que Ele mesmo abra as portas da fé a todos os homens e mulheres que acorrem à Igreja. Peço ao Senhor, às portas da Semana Santa e da Páscoa, que nós, cristãos, digamos com a vida o que celebraremos dentro da Igreja. Que ninguém passe em vão ao nosso lado, mas saibamos levar, como Filipe e André, até Jesus Cristo, a humanidade suplicante de nosso tempo, que quer vê-Lo e segui-Lo.

Foto  
Dom Alberto Taveira Corrêa

Não deixe faltar a alegria dentro da sua casa

Para viver a alegria é preciso tomar como palavra de ordem aquilo que o Senhor disse, pela boca de Neemias, naquela situação desoladora: “A alegria do Senhor será a vossa força!” (Neemias 8,10).

É necessário abrir-se ao Espírito Santo, que renova o nosso interior e transforma os nossos sentimentos. Acima de tudo é preciso querer possuir essa alegria. É uma decisão. Quanto nos decidimos, Deus entra com a Sua graça.
"A alegria é a força que mantém a família unida", esclarece monsenhor Jonas


Referindo-me especialmente às mulheres: Sejam anunciadoras da ressurreição do Senhor. Desse modo vocês sairão da morte para a vida; da tristeza para a alegria.

Jesus, após a Sua ressurreição, apareceu em primeiro lugar às mulheres. Àquelas mulheres corajosas que, de madrugada, enfrentaram tudo e foram até o sepulcro, mesmo sabendo que lá encontrariam soldados vigiando à porta. Foi ali que o Ressuscitado falou à Madalena e às outras mulheres e lhes deu a ordem de anunciar aos próprios apóstolos a Sua ressurreição. Elas foram as anunciadoras da ressurreição!

Mulher, você precisa ser anunciadora e instrumento da ressurreição na sua casa, esteja ela em que situação estiver. O Senhor quer fazer você e os seus saírem da morte para vida, da tristeza para a alegria, dos problemas para a solução.

Você pode até dizer que não é capaz. Mas eu lhe digo: Não é você quem faz. É o Senhor! Você quer, você decide. E Deus vem com a Sua graça e, aquilo que para você era impossível, acontece.

A mulher é fonte de vida biológica: ela gera vida em seu seio. Mas, por graça de Deus, ela é também fonte de vida espiritual. Por isso, o inimigo de Deus quer rebaixá-la e levá-la à impureza, à prostituição, ao adultério, a uma vida leviana e fútil.

Cheia do Espírito Santo, você, mulher, se torna instrumento de vida e ressurreição para toda a sua família e para tantas outras pessoas para as quais você nem imagina.

Para os homens eu digo: Você também é instrumento da bênção de Deus para o mundo e para a sua casa. Talvez a sua casa esteja no estado em que está porque está faltando nela a bênção de Deus. Da mesma forma que a mulher, o homem é canal de ressurreição para sua família. Todo homem é chamado a ser uma bênção.

O pai de família deve ser o primeiro a manifestar em si a graça da ressurreição, a força do Espírito Santo e o dom da alegria.

Problemas sempre existirão dentro de casa. Pode ser que falte tudo: dinheiro, saúde, comida... Mas o que não pode faltar é a alegria. Ela é a força que mantém a família unida.

É isso que Deus quer em cada família: marido e mulher, pai e mãe, cheios do Espírito Santo para serem canais de ressurreição e alegria. Deus quer, sua família precisa e merece.

Mãos à obra! A alegria do Senhor será a nossa força!

quinta-feira

Evangelho (João 5,31-47)

Quinta-Feira, 22 de Março de 2012

4ª Semana da Quaresma



— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.


Naquele tempo, disse Jesus aos judeus:
31“Se eu der testemunho de mim mesmo, meu testemunho não vale. 32Mas há um outro que dá testemunho de mim, e eu sei que o testemunho que ele dá de mim é verdadeiro.
33
Vós mandastes mensageiros a João, e ele deu testemunho da verdade. 34Eu, porém, não dependo do testemunho de um ser humano. Mas falo assim para a vossa salvação. 35João era uma lâmpada que estava acesa e a brilhar, e vós com prazer vos alegrastes por um tempo com a sua luz.
36
Mas eu tenho um testemunho maior que o de João; as obras que o Pai me concedeu realizar. As obras que eu faço dão testemunho de mim, mostrando que o Pai me enviou. 37E também o Pai que me enviou dá testemunho a meu favor. Vós nunca ouvistes sua voz, nem vistes sua face, 38e sua palavra não encontrou morada em vós, pois não acreditais naquele que ele enviou.
39
Vós examinais as Escrituras, pensando que nelas possuís a vida eterna. No entanto, as Escrituras dão testemunho de mim, 40mas não quereis vir a mim para ter a vida eterna! 41Eu não recebo a glória que vem dos homens. 42Mas eu sei que não tendes em vós o amor de Deus. 43Eu vim em nome do meu Pai, e vós não me recebeis. Mas, se um outro viesse em seu próprio nome, a este vós o receberíeis.
44
Como podereis acreditar, vós que recebeis glória uns dos outros e não buscais a glória que vem do único Deus? 45Não penseis que eu vos acusarei diante do Pai. Há alguém que vos acusa: Moisés, no qual colocais a vossa esperança. 46Se acreditásseis em Moisés, também acreditaríeis em mim, pois foi a respeito de mim que ele escreveu. 47Mas se não acreditais nos seus escritos, como acreditareis então nas minhas palavras?”

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

quarta-feira

Evangelho (João 5,17-30)

Quarta-Feira, 21 de Março de 2012
4ª Semana da Quaresma

 
— O Senhor esteja convosco.— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo,
17Jesus respondeu aos judeus: “Meu Pai trabalha sempre, portanto também eu trabalho”. 18Então, os judeus ainda mais procuravam matá-lo, porque, além de violar o sábado, chamava Deus o seu Pai, fazendo-se, assim, igual a Deus.
19
Tomando a palavra, Jesus disse aos judeus: “Em verdade, em verdade vos digo, o Filho não pode fazer nada por si mesmo; ele faz apenas o que vê o Pai fazer. O que o Pai faz, o Filho o faz também. 20O Pai ama o Filho e lhe mostra tudo o que ele mesmo faz. E lhe mostrará obras maiores ainda, de modo que ficareis admirados.
21
Assim como o Pai ressuscita os mortos e lhes dá a vida, o Filho também dá a vida a quem ele quer. 22De fato, o Pai não julga ninguém, mas ele deu ao Filho o poder de julgar, 23para que todos honrem o Filho, assim como honram o Pai. Quem não honra o Filho, também não honra o Pai que o enviou.
24
Em verdade, em verdade, eu vos digo, quem ouve a minha palavra e crê naquele que me enviou, possui a vida eterna. Não será condenado, pois já passou da morte para a vida. 25Em verdade, em verdade, eu vos digo: está chegando a hora, e já chegou, em que os mortos ouvirão a voz do Filho de Deus e os que a ouvirem viverão.
26
Porque, assim como o Pai possui a vida em si mesmo, do mesmo modo concedeu ao Filho possuir a vida em si mesmo. 27Além disso, deu-lhe o poder de julgar, pois ele é o Filho do Homem. 28Não fiqueis admirados com isso, porque vai chegar a hora em que todos os que estão nos túmulos ouvirão a voz do Filho e sairão: 29aqueles que fizeram o bem, ressuscitarão para a vida; e aqueles que praticaram o mal, para a condenação.
30
Eu não posso fazer nada por mim mesmo. Eu julgo conforme o que escuto, e meu julgamento é justo, porque não procuro fazer a minha vontade, mas a vontade daquele que me enviou.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

terça-feira

Evangelho (João 5,1-16)

Terça-Feira, 20 de Março de 2012
4ª Semana da Quaresma

 


— O Senhor esteja convosco.— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.

1
Houve uma festa dos judeus, e Jesus foi a Jerusalém. 2Existe em Jerusalém, perto da porta das Ovelhas, uma piscina com cinco pórticos, chamada Betesda em hebraico. 3Muitos doentes ficavam ali deitados — cegos, coxos e paralíticos.
4
De fato, um anjo descia, de vez em quando, e movimentava a água da piscina, e o primeiro doente que aí entrasse, depois do borbulhar da água, ficava curado de qualquer doença que tivesse. 5Aí se encontrava um homem, que estava doente havia trinta e oito anos.
6
Jesus viu o homem deitado e sabendo que estava doente há tanto tempo, disse-lhe: “Queres ficar curado?” 7O doente respondeu: “Senhor, não tenho ninguém que me leve à piscina, quando a água é agitada. Quando estou chegando, outro entra na minha frente”. 8Jesus disse: “Levanta-te, pega tua cama e anda”. 9No mesmo instante, o homem ficou curado, pegou sua cama e começou a andar.
Ora, esse dia era um sábado. 10Por isso, os judeus disseram ao homem que tinha sido curado: “É sábado! Não te é permitido carregar tua cama”. 11Ele respondeu-lhes: “Aquele que me curou disse: ‘Pega tua cama e anda’”. 12Então lhe perguntaram: “Quem é que te disse: ‘Pega tua cama e anda’?” 13O homem que tinha sido curado não sabia quem fora, pois Jesus se tinha afastado da multidão que se encontrava naquele lugar.
14
Mais tarde, Jesus encontrou o homem no Templo e lhe disse: “Eis que estás curado. Não voltes a pecar, para que não te aconteça coisa pior”. 15Então o homem saiu e contou aos judeus que tinha sido Jesus quem o havia curado. 16Por isso, os judeus começaram a perseguir Jesus, porque fazia tais coisas em dia de sábado.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Homilia diária (Senhor, não tenho quem me ajude!)


Segundo São João, por cinco vezes Jesus foi para Jerusalém por ocasião da grande festa do Templo. Enquanto para alguns a ida a Jerusalém é motivada pela participação nos ritos judaicos – para comer e beber -, para Jesus o motivo é outro. É  o anúncio do Seu projeto.
O Senhor quer lançar “mãos à obra” em relação à vontade de Deus, Seu Pai. Quer dar a conhecer a todo o mundo que está chegando a hora em que o príncipe deste mundo será derrotado. Novos céus e a nova terra estão para chegar e os verdadeiros adoradores já não dependerão das paredes do Templo de Jerusalém, tão pouco das sinagogas. Eles hão de adorar o Pai “em espírito e verdade”.
Numa dessas idas e vindas ao Templo – precisamente na Porta das Ovelhas, lugar no qual costumavam estar os pagãos, negociadores, cambistas e outros -, Jesus se dá conta da enfermidade que infernizava a vida de um homem. Curando um paralítico ali presente, Ele revela ser fonte de amor e vida para todos. Em contrapartida, os judeus promotores da festa religiosa perseguem Jesus por Sua prática misericordiosa e restauradora.
Muitas vezes, as pessoas que sofrem diferentes formas de mal possuem uma fé muito grande no poder de Deus, mas, de alguma forma, são impedidas de chegar até Ele e receber as Suas graças, condição indispensável para a superação de seus males e sofrimentos.
É o caso do paralítico que acreditava no poder de Deus e na cura que viria pela ação do anjo ao agitar a água, mas era impedido pelos outros que entravam primeiro na piscina. Assim também acontece hoje, quando criamos uma série de regras e preceitos humanos que dificultam a participação de muitos na vida divina e num relacionamento pessoal com Jesus, fonte de todas as graças que nos dão vida em abundância.
Apresente-se também a Jesus e diga para Ele: “Senhor, não tenho quem me ajude! Enquanto eu vou, outros descem antes de mim.”
E Ele, que tudo pode, dirá a você: “Levante-se! Pegue a sua maca e vá para a casa, pois sua fé o salvou”.

Padre Bantu Mendonça

Salmo (Salmos 45)

Terça-Feira, 20 de Março de 2012
4ª Semana da Quaresma


— Conosco está o Senhor do Universo! O nosso refúgio é o Deus de Jacó.— Conosco está o Senhor do Universo! O nosso refúgio é o Deus de Jacó.

— O Senhor para nós é refúgio e vigor, sempre pronto, mostrou-se um socorro na angústia; assim não tememos, se a terra estremece, se os montes desabam, caindo nos mares.

— Os braços de um rio vêm trazer alegria à Cidade de Deus, à morada do Altíssimo. Quem pode abalar? Deus está no seu meio! Já bem antes da aurora, ele vem ajudá-la.
— Conosco está o Senhor do universo! O nosso refúgio é o Deus de Jacó! Vinde ver, contemplai os prodígios de Deus e a obra estupenda que fez no universo.

Primeira leitura (Ezequiel 47,1-9.12)

Terça-Feira, 20 de Março de 2012
4ª Semana da Quaresma

Leitura da Profecia de Ezequiel.




Naqueles dias, 1o anjo fez-me voltar até a entrada do Templo e eis que saía água da sua parte subterrânea na direção leste, porque o Templo estava voltado para o oriente; a água corria do lado direito do Templo, a sul do altar.
2
Ele fez-me sair pela porta que dá para o norte, e fez-me dar uma volta por fora, até a porta que dá para o leste, onde eu vi a água jorrando do lado direito. 3Quando o homem saiu na direção leste, tendo uma corda de medir na mão, mediu quinhentos metros e fez-me atravessar a água: ela chegava-me aos tornozelos.
4
Mediu outros quinhentos metros e fez-me atravessar a água: ela chegava-me aos joelhos. 5Mediu mais quinhentos metros e fez-me atravessar a água: ela chegava-me à cintura. Mediu mais quinhentos metros, e era um rio que eu não podia atravessar. Porque as águas haviam crescido tanto, que se tornaram um rio impossível de atravessar, a não ser a nado.
6
Ele me disse: “Viste, filho do homem?” Depois fez-me caminhar de volta pela margem do rio. 7Voltando, eu vi junto à margem muitas árvores, de um e de outro lado do rio. 8Então ele me disse: “Estas águas correm para a região oriental, descem para o vale do Jordão, desembocam nas águas salgadas do mar, e elas se tornarão saudáveis.
9
Onde o rio chegar, todos os animais que ali se movem poderão viver. Haverá peixes em quantidade, pois ali desembocam as águas que trazem saúde; e haverá vida onde chegar o rio. 12Nas margens junto ao rio, de ambos os lados, crescerá toda espécie de árvores frutíferas; suas folhas não murcharão e seus frutos jamais se acabarão: cada mês darão novos frutos, pois as águas que banham as árvores saem do santuário. Seus frutos servirão de alimento e suas folhas serão remédio”.

- Palavra do Senhor.
- Graças a Deus.

A cura interior é um dom de Deus Pai

"A cura interior é uma concreta necessidade para toda e qualquer pessoa humana. Todos possuímos uma história, com suas luzes e sombras, específicas circunstâncias, muitas vezes, tristes e dolorosas, que, se não forem bem trabalhadas, podem permanecer dentro de nós.
 
 
Existiram também, obviamente, fatos positivos em nossa história, contudo, os conteúdos de negatividade que experienciamos tendem a ter uma dinâmica própria e independente dentro de nós por força do impacto que provocam em nossas emoções e sensibilidade. Tais realidades podem ficar armazenadas em nosso inconsciente, muitas vezes, nos fragmentando e determinando nossas ações e reações, com intuito de nos escravizar.

É especificamente neste ponto que a cura interior entra em cena, pois nela, pela força do Espírito de Deus, buscamos curar em nós tais feridas e traumas, que, por mais que estejam esquecidos, ainda se encontram abertos e atuantes em nosso ser.

Existem lugares em nós – lacunas e fragilidades – que ainda não conhecemos nem compreendemos com inteireza, por isso, em algumas circunstâncias, não entendemos nossas reações diante de alguns específicos estímulos. Em situações assim somente o Espírito Santo poderá protagonizar a resolução e a cura dessas feridas, revelando-nos a nós mesmos.

A cura interior é um dom do Pai, pelo Filho e na força do Espírito. É realidade fantástica, agregadora de vida e ressurreição, à qual precisamos nos submeter se quisermos, de fato, existir com qualidade.

Sem cura interior não teremos qualidade de vida emocional, psíquica e espiritual. Sem ela existiremos pela metade, divididos por vícios e fraquezas que nem sequer compreendemos, deformidades estas que nos impedirão de acontecermos em profundidade, impossibilitando-nos de ser o que verdadeiramente somos em nossa essência.

É preciso investir na cura interior com perseverança e paciência, pois ela se revelará com uma das maiores e mais acertadas aquisições que poderemos conquistar em nossa história. Ela nos fará mais aquilo realmente somos, fazendo-nos muito mais d’Aquele que 'de modo admirável nos teceu e formou' (cf. Sl 138,13-14).

Vivamos essa belíssima experiência!"


Padre Adriano Zandoná
Comunidade Canção Nova

Um pouco de História Sobre o Grupo de Oração Sementes de Maria - 7 ANOS DE EXISTÊNCIA

COM MUITA ALEGRIA NO CORAÇÃO, O GRUPO DE ORAÇÃO SEMENTES DE MARIA COMEMORA OS SEUS SETE ANOS DE EXISTÊNCIA LEVANDO A EVANGELIZAÇÃO A TODOS ...