O Grupo de Oração Sementes de Maria acontece todos as terça-feiras, as 19:30 com início do Santo Terço, na Capela Rosa Mística, Rua Paulina Maria Alves, 210, Loteamento, Pompéu/MG.

quinta-feira

ROMPENDO COM O INDIVIDUALISMO



O Senhor quer que deixemos essa cultura individualista de lado, porque Ele nos quer melhores, nos quer diferentes”

Podemos perceber na nossa sociedade uma enorme tendência a relativizar tudo. A situação se agrava quando vemos as coisas de Deus e da Igreja de Cristo sendo vividas de uma maneira qualquer. A maioria de nós se preocupa somente com a própria vida, com suas escolhas e conquistas, mas se esquece que o Senhor nos chama a sermos irmãos, missionários e pescadores de homens. Somos o corpo da Igreja, mas o que parece é que não nos sentimos parte dela. Temos dificuldade de entender e aceitar seus ritos e dogmas, sua doutrina. E, a cada dia, mais nos afastamos dela. Esse distanciamento significa afastar-se também de Jesus, dos Seus ensinamentos e do Seu convite à santidade.

As coisas do mundo são mais fáceis de serem vividas e entendidas; além do mais, estamos vivendo uma época em que fazer sacrifícios não faz sentido, ainda mais se estes forem em favor do irmão. Jesus nos chama a amar o próximo, mas acredito que estamos em uma situação que, muitas vezes, não conseguimos nem amar nem a nós mesmos.
Tive a graça de perceber que, durante muitos anos, estive mergulhada nessa cultura relativista, preocupada com minha vida, minhas vontades e escolhas. O que pude ver é que o Senhor quer que deixemos essa cultura individualista de lado, porque Ele nos quer melhores, nos quer diferentes. Fomos criados à imagem e semelhança de Deus para sermos, de fato, assim. E Deus é o quê? Ele é amor.
Precisamos parar de achar que ser cristão católico é somente ir à Missa e assumir a missão de filhos de Deus. O primeiro passo para isso é colocarmos o Altíssimo como primeiro plano, deixar que Ele seja o Senhor da nossa vida. 
A partir dessa atitude, desse primeiro passo, muitas coisas mudam. São mudanças tão significativas que passamos a ter novos hábitos, novos amigos, gostos e novas percepções. Talvez, isso nos assuste, desperte em nós o medo da incompreensão, mas quando nos deixamos conduzir pelo Evangelho, pelos ensinamentos de Jesus e, consequentemente, pelo próprio Deus, nos tornamos pessoas novas. E essa nova pessoa vai passar por dificuldades, porque esse novo caminho é diferente do caminho de todos.
“O mundo precisa de pessoas melhores, capazes de levar a Boa Nova a toda a criatura sem esperar nada em troca”
Ao longo da caminhada, perceberemos que o caminho correto é Jesus. Ele é o caminho, a verdade e a vida. Entendendo isso, somos capazes de louvar ao Senhor e Lhe agradecer por todos os momentos da nossa vida, sejam alegres ou tristes, porque temos a certeza de que Deus quer o melhor para nós. E aquilo que não somos capazes de entender em determinado momento vai fazer todo sentido se perseverarmos no caminho correto.
O que precisamos é abrir o coração para o agir de Deus, deixar que o Espírito Santo nos conduza e nos ajude a caminhar com Cristo, para que um dia sejamos capazes de “renunciar a nós mesmos, pegar a cruz e seguir Jesus”. O mundo precisa de pessoas melhores, capazes de levar a Boa Nova a toda a criatura sem esperar nada em troca. Procurar ouvir a voz de Deus nesse mundo com tantos ruídos pode parecer impossível, mas com boa vontade, coragem e algumas renúncias estaremos aqui na terra trilhando o caminho para a eternidade, onde poderemos viver na Glória com nossa Mãe Santíssima e todos os anjos.
Esse Deus que se fez homem é digno de louvor, e tudo o que fizermos para ajudar o irmão, para sermos santos, é pouco para agradecer o amor que recebemos d’Ele. Peçamos sempre para que o Espírito Santo nos capacite e nos ensine a seguir pelos caminhos do Senhor, e que Nossa Senhora nos auxilie com a sua providência e nos ensine a ser obedientes como ela foi. Sem oração somos incapazes de ouvir Deus e fazer a Sua vontade. Estamos neste mundo, mas o nosso lugar é o céu; então, temos de cuidar da nossa vida e pensar naquilo que nos aproxima do Pai e que nos dá a salvação.

quarta-feira

6° Restaurar-te




O 6° Restaurar-te, será nos dias 25 e 26 de julho de 2015 na Capela Rosa Mística em Pompéu MG. 

O Restaurar-te é um encontro carismático que nos leva ao Encontro do Amor de Cristo, com muito louvor, Teatro, Pregações, Oração diante do Santíssimo Sacramento, Batismo no Espírito Santo. 


Não perca essa oportunidade as vagas são limitadas venha viver conosco esse tempo de Graça. 


As inscrições podem ser feitas com qualquer servo do grupo de Oração Sementes de Maria ou no grupo de Oração aos sábados, ás 19:30, o valor da inscrição é R$ 20,00.


Mais informações pelo Tel: 37 9819-6196

Deus espera por você.

Os Mendigos de Amor


“O amor é muito nobre para ser pedido, cobrado ou implorado”

A Palavra de Deus nos ensina, na primeira Carta aos Coríntios, capítulo 13, a plenitude e a beleza do amor. Pela preciosidade das palavras, essa passagem, vez ou outra, é usada como declaração de casais apaixonados. Mas poucas são as vezes em que verdadeiramente encaramos aquilo que deve ser mudado em nós quando lemos esse trecho bíblico. Já reparou nisso? Uma das partes mais partilhadas da Sagrada Escritura está distante do real sentido. Existe uma confusa camada dentro de nós que separa o amor do apego.
Tenha certeza, meu irmão, que o amor não se transforma em apego, pois ele jamais passará. Já o apego, bastam algumas decepções para que ele se transforme em repúdio. Vejamos se em nossos relacionamentos pode estar acontecendo o mesmo.

Conhecemos uma pessoa e ela nos atrai por suas qualidades externas ou internas. Então, criamos sobre essa admiração uma idealização e, muitas vezes, chegamos ao extremo da idolatria. Começamos a achar louvável todas as ações dessa pessoa, não deixamos, de forma alguma, de lhe dar títulos de honra como “melhor amiga (o)”, “amor maior” etc.
“Deus nos deu autonomia para que buscássemos a felicidade sem que ela dependesse da ação de outro”
Criamos, assim, uma prisão afetiva, que nada mais é do que um falso amor. Passamos a não enxergar mais o outro como uma pessoa, mas como um objeto, que deve estar de prontidão para nos demonstrar carinho constantemente da forma e na hora que quisermos. Nossa imaturidade é tanta, que nos passamos por “pedintes de amor”. Da mesma forma que se cobra uma dívida, passamos a cobrar atenção. Com o passar do tempo, a convivência vai nos mostrando que esse alguém tão maravilhoso é passível de falhas e pecados, por isso não consegue ”cumprir os deveres” que colocamos sobre ele de nos fazer feliz.
Perceba a reação em cadeia que ocorre: impusemos ao outro, de forma errada, a missão de nos fazer feliz, o que é extremamente autodestrutivo, pois Deus nos deu autonomia para que buscássemos a felicidade sem que ela dependesse da ação de outro.
O amor é muito nobre para ser pedido, cobrado ou implorado. Se você já passou ou está passando por uma situação humilhante, saiba que somente o amor de Deus é capaz de preencher esse vazio. Santa Teresa de Ávila dizia: “A quem tem Deus nada falta, só Deus basta!”. Portanto, tire as vendas dos seus olhos e veja que o Senhor não pediu para que você dependesse afetivamente dos outros. Ele pediu para que você os amasse da mesma forma como Ele ama você. E a fórmula para sair dessa prisão é simples: imitar Cristo. O processo pode ser longo, mas a cura e a maturidade que se instalará em seu coração será tão grandiosa que, finalmente, você vai ter a coragem de olhar os outros como Jesus olhou.

Pregação dia 14-03-2017: O Justo vive pela Fé.

O pregador da Semana foi nosso Querido Lalau, nosso irmão da diocese de Sete Lagoas. Um dia de muitas bênçãos derramadas sobre todos que...