O Grupo de Oração Sementes de Maria acontece todos as terça-feiras, as 19:30 com início do Santo Terço, na Capela Rosa Mística, Rua Paulina Maria Alves, 210, Loteamento, Pompéu/MG.

sábado

Documentário "Um santo entre nós"

A TV Canção Nova preparou um documentário especial sobre a vida e pontificado de João Paulo II, com apresentação de Carla Astuti.

 

quinta-feira

Jesus nos criou para um novo mundo...


Jesus nos criou para um novo mundo 
Padre Francisco
Foto: Maria Andrea/cancaonova
Diante da criação de Deus há uma obra-prima: o homem e a mulher. “Deus criou o homem e a mulher à sua imagem e os pôs no jardim”. 

Você foi criado para crescer, multiplicar neste mundo e dominar a terra com o amor e a misericórdia de Deus. Mesmo diante dessa graça que o Senhor criou, o mal entrou no mundo. Houve no céu uma grande batalha e os anjos maus foram vencidos e precipitados na terra. O inimigo de Deus sabe que o homem e a mulher têm a graça de dominar a terra, e a única arma que ele tem contra nós é a tentação. Aí entra o pecado no mundo.

Quando o pecado entrou no mundo, entraram também as doenças, as dores, os sofrimentos... Mas algo impressionante que me toca muito é que, hoje, a nossa condição é melhor e maior que a condição de Adão e Eva mesmo antes do pecado, porque nossa condição foi superada pela redenção de Jesus na cruz. Ninguém pode ter inveja de Adão e Eva, pois a Igreja nos diz que nossa condição é melhor, porque Jesus veio para salvar o que estava perdido. Estamos redimidos pelo Sangue de Jesus Cristo, pois Ele pagou o preço que devíamos a Deus com Seu Sangue.

Jesus Ressuscitado nos constituiu e criou para um novo mundo. Ele criou homens novos para um mundo novo, por isso, agora, podemos viver essa vida livre, maravilhosa. Você não precisa mais viver com medo do inimigo de Deus, porque Jesus já o venceu!

O Senhor mudou a nossa sorte, estamos agora livres e precisamos tomar consciência do que Ele fez por nós. Estamos na condição da graça da vida nova, por isso celebremos, sem cessar, a ressurreição de Jesus. Para nós católicos, o crucifixo é sinal d'Aquele que venceu neste mundo, é sinal do Senhor sobre todo o mal. 

Se Jesus fez tudo isso, por que me deixo abater pela enfermidade, pela tristeza? A resposta é o que Pedro disse quando realizou a cura em nome do Senhor: “Este homem está curado em nome de Jesus”. 

Meus irmãos, tudo é questão de fé, de acreditar; senão, nada mudará em nossa vida. Tudo é possível ao que crê. Se você acreditar verdadeiramente, nada poderá abatê-lo. 

Coragem! Jesus venceu por nós. 
 

terça-feira

Quando o sofrimento bater na nossa porta...


O Evangelho escolhido foi o da Ressurreição de Lázaro, um grande amigo de Jesus. Estar em Betânia com os amigos era uma forma de Jesus curar e restaurar as forças. Jesus Cristo sofreu muito, porque amou muito. Quanto mais estivermos ligados às pessoas, tanto mais sofreremos. Mas não construamos cercas. Tenhamos essa sensibilidade diante do sofrimento. Era isso que Jesus ia buscar em Betânia: consolo em amigos verdadeiros. 

Quando Ele chegou em Betânia, já fazia 4 dias que Lázaro estava morto. Não podiam fazer mais nada, mas para Jesus não havia tempo a perder e Ele foi ter com o amigo morto. O Senhor era muito humano. Quando Ele chegou, tapou o nariz, pois a situação estava 'podre', porém, movido pelo amor àquele homem, Ele disse: 'Venha, Lázaro'.

Na verdade, Jesus queria nos mostrar que a morte não foi feita para nós. Um dia, todos nós iremos morrer, isso é fato, mas Cristo está falando de outra morte e quer nos propor a ressurreição. Se olharmos somente para a pedra posta no sepulcro, não haverá nenhuma esperança e nos desesperaremos, porque ela [pedra] é imóvel. Se ficarmos olhando para a pedra, ficaremos fixados ali, no mesmo lugar, e não é isso que Jesus quer. "Lázaro, venha para fora". Quantas vezes experimentamos estar no sepulcro, que é um lugar escuro e cheira mal? Mas se deixarmos essa pessoa ficar lá muito tempo, não a encontraremos do mesmo jeito, pois ela entrou em processo de decomposição. É um lugar de silêncio e não há mais nada, terminou. Agora, se olhamos a morte como um lugar de transição, daí sim, ele fica cheio e revestido de esperança. Quantas vezes você já morreu? 

Estamos ressuscitando todos os dias. A cigarra fica um ano debaixo da terra para cantar somente um dia. Um ano se preparando para cantar até se arrebentar. O sofrimento é isso, um tempo de preparo. Louvado seja Deus pelos sofrimentos! 

Todos os artistas compõem maravilhosas obras quando estão sofrendo, e, todas as vezes em que tocamos em nossos limites, vamos além. Compomos músicas, pinturas, criamos vida e caráter. Você pode se perguntar sempre: "Mas eu não sou artista, e aí?" Você pode desenhar a sua alma, pode esculpir o seu caráter. 

A cigarra não fica debaixo da terra por motivo de masoquismo. Não. É um tempo de preparo existencial da natureza. Quando você perceber que o seu sofrimento está infértil, é o tempo de parar de sofrer. Quando começamos a derramar as lágrimas, passamos por um processo de cura que está nos lavando e purificando. 

Quanto tempo pode durar um velório dentro de nós? O sepultamento do corpo tem que iniciar um processo de amizade com a vida. O sofrimento é criado dentro de nós; o velório não é uma situação de morte. O que fazemos com o ruim que aconteceu conosco? Não importa o que a vida fez com você, mas o que você faz com o que a vida fez com você. Não temos como evitar o desprezo do outro, vão acontecer coisas das quais não vamos gostar, mas somos nós que vamos ver quanto custa esse sofrimento. 

Boa parte dos sofrimentos do ser humano está naquilo que nós pensamos e permitimos em nosso pensamento. Se racionalizarmos a nossa emoção, nós não sofreremos.
Neutralizar o pensamento do sofrimento é lançar um pensamento bom em cima de um ruim. Quantas pessoas sofrem por não terem a capacidade de filtrar as coisas ruins que escutam? Não temos o direito de ser mesquinhos por querermos ser o que o outro é. Não tenha inveja, floresça onde Deus o plantou. 

Há pessoas invejosas, que querem ser o que você é. Que não são capazes de olhar quem elas, realmente, são. Pare de olhar para a vida do outro, pois você não tem os valores que ela tem; mas você tem valores que ela não tem. Temos que ter nossa coerência e nosso modelo. Liberte-se dessas ideias pessimistas sobre você mesmo, você é capaz! 

A ordem de Jesus: "Pare de ficar neste sepulcro e venha viver”. Estamos em horário do cristão: Está na hora de viver! Você não tem o direito de ficar no túmulo com seus problemas e lutos. O tempo previsto para o sofrimento tem data marcada para terminar, já passou, chega! Faça alguma coisa pela sua vida! Só sofra de verdade pelas coisas que valem a pena. Quantas pessoas não sofreram o que deveriam sofrer? Esse tempo é curto, e é maravilhoso descobrir que, hoje, temos a oportunidade de escutar a voz de Jesus dizendo que não quer mais a morte para a nossa vida. Deus está segurando na nossa mão. 

Se você está sofrendo muito, permita que Jesus cuide de você. Revolucione sua vida, pois quem fica parado é poste. Melhore esta cara e faça o que puder fazer, pois assim beneficiará as pessoas ao seu lado. O cuidado de Deus é lindo: "Saia deste sepulcro!" Não perca seu tempo em bobagens que tornam o sofrimento enorme em sua vida. 

O 'cuidar' é sempre expressão de alguém que ama. Ninguém gosta de ver a pessoa amada sofrendo. Precisamos acordar para a vida. 

O nosso objetivo é sermos felizes! Não há problema que resista a uma pessoa transformada por Deus! Nem a um ser humano com vontade de resolver os problemas. Não há nada maior do que uma pessoa de coragem. 

Quando o sofrimento bater à sua porta, abra a janela para que você veja a dor do outro.

domingo

Vídeos da Procissão de Nosso Senhor morto e Canto da Verônica em Pompéu MG

Vídeos da Procissão de Nosso Senhor morto e Canto da Verônica em Pompéu MG

Parte I


Parte II

Símbolos da Páscoa!?


            Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo!
Comemoramos hoje a ressurreição de Jesus, mas outros símbolos acompanham essa data tão querida para muitos de nós. Dentre eles os ovos, o chocolate, o coelho, etc.
Quinta feira veio-me uma pergunta a mente: Porque a páscoa que é a ressurreição de Cristo tem o coelho e ovo como símbolo? E desde quando coelho bota ovos? (risos), mesmo tento pesquisado uma vez sobre tudo isso, posto aqui sobre esses símbolos, coisa pequena, porque ninguém merece uma aula de história em pleno domingo néh?! O importante é aprender, eu mesmo, aprendi sobre símbolos que nem conhecia, como o girassol por exemplo.
A PÁSCOA: O nome páscoa surgiu a partir da palavra hebraica "pessach" ("passagem"), que para os hebreus significava o fim da escravidão e o início da libertação do povo judeu. Para nós cristãos, a Páscoa é a passagem de Jesus Cristo da morte para a vida: a Ressurreição.

OVO: Os cristãos primitivos do oriente foram os primeiros a dar ovos coloridos na Páscoa simbolizando a ressurreição, o nascimento para uma nova vida. A substituição dos ovos cozidos e pintados por ovos de chocolate, pode ser justificada pela proibição do consumo de carne animal, por alguns cristãos, no período da quaresma. Alem de ser mais gostoso também , néh?!

COELHO: Por sua grande fecundidade, ele simboliza a Igreja que, pelo poder de cristo, é fecunda em sua missão de propagar a palavra de Deus a todos os povos. E modéstia a parte, ele procria que é uma beleza, rs.

CORDEIRO: No Antigo Testamento, a Páscoa era celebrada com os pães ázimos (sem fermento) e com o sacrifício de um cordeiro como recordação do grande feito de Deus em prol de seu povo: a libertação da escravidão do Egito. Moisés, escolhido por Deus para libertar o povo judeu da escravidão dos faraós, comemorou a passagem para a liberdade, imolando um cordeiro.

CÍRIO PASCAL: É uma grande vela que se acende na igreja, no sábado de aleluia. Significa que "Cristo é a luz dos povos". Simboliza o Cristo que ressurgiu das trevas para iluminar o nosso caminho.

GIRASSOL: O girassol é uma flor de cor amarela, formada por muitas pétalas, de tamanho geralmente grande. Tem esse nome porque está sempre voltado para o sol. Como símbolo da páscoa, representa a busca da luz que é Cristo Jesus e, os cristãos buscam em Cristo o caminho, a verdade e a vida.

COLOMBA PASCAL: O bolo em forma de "pomba da paz" significa a vinda do Espírito Santo.

ANDRÉ SANTOS

Comentário do Evangelho (Domingo de Páscoa)


Irmãos e irmão, paz e bem a todos! Como fora abençoada a semana na nossa cidade de Pompéu, MG. O grupo de oração Sementes de Maria participou em seus distintos momentos e partes, cada qual exercendo seu papel de cristão como podia, ou muita das vezes como queria. Deus provê, Deus proverá, sua misericórdia não faltará!
No dia de hoje, mais do que ovos de páscoa, do que chocolate, do que coelhos ou presentes caros, comemoramos a Ressurreição do Nosso Senhor Jesus Cristo, o filho enviado pelo Pai para nos livrar e libertar-nos de todos nossos pecados. O filho enviado pra nos demonstrar com muito amor, humildade e perseverança que viver em Deus é possível, e quando passamos a viver nEle, este viverá também eternamente em nós.

O evangelho de João, capitulo 20, versículos de 1 a 9, aborda a ida de Maria Madalena ao sepulcro de Jesus e vendo a pedra retirada do túmulo. Desesperada não sabia o que havia de fato acorrido com seu filho, e fora procurar ajuda. Alguns dos discípulos que entraram não compreenderam o que ocorria, ainda não tinham compreendido a Escritura, segundo a qual ele devia ressuscitar dos mortos (versículo 9).

Enfim, o que podemos tirar desse evangelho é que infelizmente muitos no dia de hoje não fazem a mínima ideia do que se passa. A não ser comemorar a páscoa com muito chocolate e com muita festividade, sem saber o porquê. Mas como disse no inicio da postagem: Deus provê, Deus proverá, sua misericórdia não faltará!

Independente de crenças ou ideais, aclamemos com gloria e louvor a ressurreição de Jesus. Ele sim, ressurgiu, provando a todos que Ele era (e é) o filho de Deus Pai. Ele superou, ensinou, sofreu, viveu e nos mostra que é possível. Dentre todas nossas tribulações vivenciadas dia a dia, espelhemo-nos no exemplo vivo de Cristo, para que possamos “ressuscitar-nos” a cada emboscada da vida, a cada sujeira que nos inundamos.

Proclamemos nesse dia a vitoria de Jesus sobre a morte! Amém

André Santos

Evangelho Dominical (João 20,1-9)



Domingo, 24 de Abril de 2011 
Páscoa do Senhor

— O Senhor esteja convosco. 
— Ele está no meio de nós. 
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo, + segundo João.
— Glória a vós, Senhor!

1No primeiro dia da semana, Maria Madalena foi ao túmulo de Jesus, bem de madrugada, quando ainda estava escuro, e viu que a pedra tinha sido retirada do túmulo. 
2Então ela saiu correndo e foi encontrar Simão Pedro e o outro discípulo, aquele que Jesus amava, e lhes disse: “Tiraram o Senhor do túmulo, e não sabemos onde o colocaram”. 
3Saíram, então, Pedro e o outro discípulo e foram ao túmulo. 4Os dois corriam juntos, mas o outro discípulo correu mais depressa que Pedro e chegou primeiro ao túmulo. 5Olhando para dentro, viu as faixas de linho no chão, mas não entrou. 
6Chegou também Simão Pedro, que vinha correndo atrás, e entrou no túmulo. Viu as faixas de linho deitadas no chão 7e o pano que tinha estado sobre a cabeça de Jesus, não posto com as faixas, mas enrolado num lugar à parte. 
8Então entrou também o outro discípulo, que tinha chegado primeiro ao túmulo. Ele viu, e acreditou. 
9De fato, eles ainda não tinham compreendido a Escritura, segundo a qual ele devia ressuscitar dos mortos.

- Palavra da Salvação. 
- Glória a vós, Senhor.

quinta-feira

A Instituição da Eucaristia

      Quando chegou o momento de Sua partida para a eternidade, JESUS bondade infinita nos ofereceu o melhor presente: instituiu a Sagrada Eucaristia, Presença Real DELE Mesmo com Seu Corpo, Sangue, Alma e Divindade na Hóstia e no Vinho Consagrados. Esta foi à maneira sensível que o SENHOR JESUS escolheu para permanecer junto do povo que ELE Salvou e Redimiu. ELE é verdadeiramente o pão descido do Céu, alimento espiritual, força e inspiração para a humanidade na caminhada existencial, poderoso elo que une e congrega todos os fieis ao redor de um único Altar até a consumação dos séculos, porque ELE é DEUS, com o PAI e o ESPÍRITO SANTO.

São Mateus registrou aquele inesquecível momento escrevendo as palavras que JESUS falou:
"Enquanto comiam (a Ultima Ceia), JESUS tomou um pão e, tendo abençoado, partiu e, distribuindo aos discípulos, disse: Tomai e comei, isto é o Meu Corpo . Depois, tomou um cálice e, dando graças, deu-lhes dizendo: dele Bebei todos, pois isto é o Meu Sangue, oSangue da Aliança, (nova Aliança) que é derramado por muitos para remissão dos pecados". (Mt 26,26-28)

São Marcos registrou assim:
"Enquanto comiam, ELE tomou um pão, abençoou, partiu-o e distribuiu-lhes, dizendo: Tomai isto é o Meu Corpo. Depois, tomou um cálice e, dando graças, deu-lhes, e todos dele beberam. E disse-lhes: Isto é o Meu Sangue, o Sangue da Aliança (nova Aliança), que é derramado em favor de muitos". (Mc 14,22-24)
São Lucas anotou as seguintes palavras do SENHOR:
"E tomou um pão, deu graças, partiu e distribuiu-o a eles, dizendo: Isto é o Meu Corpo que é dado por vós. Fazei isto em Minha memória. E, depois de comer, fez o mesmo com o cálice, dizendo: Este cálice é a Nova Aliança em Meu Sangue, que é derramado em favor de vós". (Lc 22,19-20)

São Paulo descreve como JESUS lhe ensinou:
"Com efeito, eu mesmo recebi do SENHOR o que vos transmiti: na noite em que foi entregue o SENHOR JESUS tomou o pão e, depois de dar graças, partiu-o e disse: Isto é o Meu Corpo, que é para vós; fazei isto em memória de MIM. Do mesmo modo, após a Ceia, também tomou o cálice, dizendo: Este cálice é a nova Aliança em Meu Sangue; todas as vezes que dele beberdes, fazei-o em memória de MIM". (1Cor 11,23-25)

O Apóstolo São João que estava ao lado do Mestre descreveu assim as palavras que JESUS pronunciou na Última Ceia:
"Em verdade, em verdade, vos digo: se não comerdes a Carne do FILHO do Homem e não beberdes o seu Sangue, não tereis a vida em vós. Quem come a Minha Carne e bebe o Meu Sangue tem a vida eterna e EU o ressuscitarei no último dia. Pois a Minha Carne é verdadeira comida e o Meu Sangue, verdadeira bebida. Quem come a Minha Carne e bebe o Meu Sangue permanece em MIM e EU nele". (Jo 6,53-56)

As palavras de JESUS são claras e compreensíveis. Naquele momento de despedida criou o misterioso Fenômeno da Transubstanciação, que acontece em todas as Santas Missas no instante da Consagração. As espécies de pão e vinho são transformadas pelo ESPÍRITO SANTO no seu Corpo, Sangue, Alma e Divindade, mantendo, entretanto a aparência original das mesmas espécies.
Isto significa dizer, que verdadeiramente JESUS está presente na Hóstia Consagrada, em Pessoa e Divindade. Então, a Sagrada Comunhão não pode e não deve ser considerada como um "símbolo" ou como uma "representação" do SENHOR, porque é ELE Mesmo. O SENHOR está Realmente Presente na menor fração de uma Partícula Consagrada, em todos os sacrários do mundo. Está sempre disponível para saciar a fome espiritual, iluminar as almas, acolher as súplicas e preces de todos que buscam o seu auxílio, ajudando e inspirando ao longo da existência, protegendo e defendendo as pessoas contra as insídias de Satanás e consolando-as nos reveses da vida. Cheio de amor e misericórdia ELE Se apresenta modestamente numa partícula de trigo e água e no vinho consagrado. Nesta simplicidade ELE esconde todo o seu poder e a sua divindade. Porque ELE quer que cada um de nós, O procure não com pompas e falatórios, mas com humildade, reconhecendo as próprias fraquezas e limitações. Assim, prostrados diante DELE, conscientes de nossa insignificância e de nosso nada, com simplicidade de coração devemos manifestar a súplica mais sincera, para alcançarmos DELE as graças que emanam do Seu Divino e imenso Amor.

Esta realidade sinaliza ao raciocínio a necessidade de cada pessoa procurar aumentar cada vez mais, de alguma forma, a intensidade da atenção e do afeto que devemos dedicar ao SENHOR. Não como atitude pensada, programada e interesseira, mas como gesto normal, gerado de dentro para fora, do interior de nosso coração para o Coração do CRIADOR, um procedimento consciente, que deve ser cultivado habitualmente. Esta preocupação representará uma continua e permanente oração a DEUS, oração perseverante que deve ser modulada e adornada com as preces que recitamos todos os dias. Isto, para que elas sejam a nossa resposta de amor, num carinhoso tributo de agradecimento, por todos os bens que ELE nos proporciona, inclusive pelo dom da própria vida.

quarta-feira

Procissão de Nossa Sra. das Dores em Pompéu MG


Na ultima terça-feira foi realizada na Comunidade da Paróquia Nossa Senhora da Conceição, a tradicional Procissão com a gloriosa imagem de Nossa Senhora das Dores, em direção à Escola Estadual Ministro Francisco Campos, procissão também conhecida como "Procissão do Depósito", onde na quarta as duas imagens, de Nosso Senhor dos Passos, e Nossa Senhora das Dores, irão se encontrar na Matriz Nossa Senhora da Conceição. 
      Confira as fotos e ao final, o inédito vídeo da procissão com comentários.

terça-feira

Procissão de Nosso Senhor dos Passos em Pompéu MG


       Na ultima segunda-feira foi realizada na Comunidade da Paróquia Nossa Senhora da Conceição, a tradicional Procissão com a gloriosa imagem de Nosso Senhor dos Passos, em direção à Capela São Vicente de Paulo, procissão conhecida como "Procissão do Depósito", onde na quarta as duas imagens, de Nosso Senhor dos Passos, e Nossa Senhora das Dores, irão se encontrar na Matriz Nossa Senhora da Conceição. 
      Confira as fotos e ao final, o inédito vídeo da procissão com comentário do Pároco, Padre Mauro Jorge. 

 Ornamentação do andor de Nosso Senhor dos Passos

 Procissão saindo da Igreja Matriz


 
Vídeo da Procissão de Nosso Senhor dos Passos, confira:


Nosso Senhor dos Passos, 
Guiai os nossos passos

segunda-feira

Video Inédito: Domingo de Ramos em Pompéu

Assista a um dos primeiros vídeos da Semana Santa 2011 de Pompéu - MG.

Domingo de Ramos

Terça Feira da Semana Santa - Nossa Senhora das Dores

      Nossa Senhora das Dores (também chamada Nossa Senhora da Piedade, Nossa Senhora da Soledade, Nossa Senhora das Angústias, Nossa Senhora das Lágrimas, Nossa Senhora das Sete Dores, Nossa Senhora do Calvário ou ainda Nossa Senhora do Pranto, e invocada em latim como Beata Maria Virgo Perdolens, ou Mater Dolorosa) é um dos plúrices títulos pelos quais a Igreja Católica venera a Virgem Maria, sendo sob essa designação particularmente cultuada em Portugal.

      O culto à Mater Dolorosa iniciou-se em 1221, no Mosteiro de Schönau, na Germânia. Em 1239, a sua veneração no dia 15 de Setembroteve início em Florença, na Itália, pela Ordem dos Servos de Maria (Ordem Servita). Deve o seu nome às Sete Dores da Virgem Maria:
  • As profecias de Simeão sobre Jesus (Lucas, 2, 34-35)
  • A fuga da Sagrada Família para o Egito (Mateus, 2, 13-21);
  • O desaparecimento do Menino Jesus durante três dias (Lucas, 2, 41-51);
  • O encontro de Maria e Jesus a caminho do Calvário (Lucas, 23, 27-31);
  • Maria observando o sofrimento e morte de Jesus na Cruz (João, 19, 25-27);
  • Maria recebe o corpo do filho tirado da Cruz (Mateus, 27, 55-61);
  • Maria observa o corpo do filho a ser depositado no Santo Sepulcro (Lucas, 23, 55-56).


      Nossa Senhora das Dores surge representada sendo ferida por sete espadas no seu coração imaculado (algumas vezes uma só espada), dado ter sido trespassada por uma espada de dor, quando da Paixão e Morte de seu Filho, unindo-se ao seu sacrifício enquanto redentor e sendo por isso chamada pelos teólogos de Corredentora do Género Humano. É também seu símbolo o Rosário das Lágrimas (ou Terço das Lágrimas), com 49 contas brancas divididas em sete partes de sete contas cada. Aparece também frequentemente representada com uma expressão dolorida diante da Cruz, contemplando o filho morto (donde nasceu o hino medieval Stabat Mater), ou então segurando Jesus morto nos braços, após o seu descimento da Cruz (dando assim origem à temática das Pietà).

Procissão de Domingo de Ramos

     Em Pompéu - MG, a Paróquia Nossa Senhora da Conceição, juntamente com toda a comunidade, deu inicio neste ultimo Domingo, às solenidades e tradições da Semana Santa.

      Com benção, procissão e missa, foi celebrado na Matriz, o dia do Domingo de Ramos. Confiram as fotos:

 Benção dos Ramos - Copasa

Benção dos Ramos - Asperção

 Procissão com os Ramos


Celebração da Santa Missa

      Hoje, segunda-feira, teremos às 19 horas, reza do Terço Mariano, e logo em seguida, procissão com a imagem de Nosso Senhor dos Passos em direção à Capela São Vicente de Paulo.

Confira o vídeo da Procissão do Domingo de Ramos

domingo

Nosso Senhor dos Passos



Nosso Senhor dos Passos é uma invocação de Jesus Cristo e uma devoção especial na Igreja Católica a ele dirigida, que faz memória ao trajeto percorrido por Jesus Cristo desde sua condenação à morte no pretório até o seu sepultamento, após ter sido crucificado noCalvário.
A história desta devoção remonta à Idade Média, quando os cruzados visitavam os locais sagrados de Jerusalém por onde andou Jesus a caminho do martírio, e quiseram depois reproduzir espiritualmente este caminho quando voltaram à Europa sob forma de dramas sacros e procissões, ciclos de meditação, ou estabelecendo capelas especiais nos templos.
No século XVI se fixaram 14 momentos principais deste trajeto, embora o número tenha variado na história do catolicismo de sete a 39. Estes pontos principais são chamados de as estações ou os passos da Paixão de Cristo ao longo da Via Sacra ou Via Crucis. São eles:
  • I. Jesus é condenado à morte
  • II. Jesus carrega a cruz às costas
  • III. Jesus cai pela primeira vez
  • IV. Jesus encontra a sua Mãe
  • V. Simão Cirineu ajuda Jesus a carregar a cruz
  • VI. Verônica limpa o rosto de Jesus
  • VII. Jesus cai pela segunda vez
  • VIII. Jesus encontra as mulheres de Jerusalém
  • IX. Terceira queda de Jesus
  • X. Jesus é despojado de suas vestes
  • XI Jesus é pregado na cruz
  • XII. Morte de Jesus na cruz
  • XIII. Descida do corpo de Jesus da cruz
  • XIV. Sepultamento de Jesus
Esta invocação se tornou muito popular em alguns países como Portugal e Brasil, dando origem a rica iconografia e onde existem inúmeras igrejas fundadas sob sua proteção, e naQuaresma são realizadas procissões especiais chamadas de Procissão dos Passos ou Procissão do Encontro

O Domingo de Ramos


Amados irmãos e irmãs, neste Domingo de Ramos abordaremos um pouco da história e teoria do que se trata esse dia e a iniciação para a semana santa. No dia de hoje temos dois evangelhos: o primeiro, que narra à entrada festiva de Jesus em Jerusalém fortemente aclamado pelo povo e o segundo que narra a Paixão de Nosso  Senhor Jesus Cristo, onde são relatados os acontecimentos do julgamento de Cristo. Como os comentários dos evangelhos nada dizem sem antes um conhecimento sobre a verdadeira história, vamos a esta, para que fique claro todas as duvidas do que se trata essas datas tão importantes na liturgia.
O Domingo de Ramos celebra a entrada de Jesus Cristo na cidade de Jerusalém e abre por excelência a Semana Santa. Jesus foi para Jerusalém para celebrar a Páscoa Judaica com os discípulos. Entrou na cidade como um Rei, mas sentado num jumentinho - o símbolo da humildade -, como vemos a descrição em (Mateus 21,1-11). Este domingo é chamado assim porque o povo cortou ramos de árvores, ramagens e folhas de palmeiras para cobrir o chão onde Jesus passava montado no jumento. Com folhas de palmeiras nas mãos, o povo o aclamava “Rei dos Judeus”, “Hosana ao Filho de Davi”, “Salve o Messias”... (Mateus 21,9) e o aclamavam cheio de alegria e esperança, pois Jesus como o profeta de Nazaré da Galiléia, o Messias, o Libertador, certamente para eles, iria libertá-los da escravidão política e econômica  imposta cruelmente pelos romanos naquela época e, religiosa que massacrava a todos com rigores excessivos e absurdos. E assim, Jesus entra triunfante em Jerusalém despertando nos sacerdotes e mestres da lei muita inveja, desconfiança e medo de perder o poder, começa então uma trama para condenar Jesus à morte de cruz.
            Mas essa mesma multidão, poucos dias depois, manipulada pelas autoridades religiosas, o acusaria de impostor, de blasfemador, de falso messias. Antes, porém, da sua condenação, Jesus passa por humilhações, cusparadas, bofetadas, é chicoteado impiedosamente por chicotes romanos.
              No Domingo de Ramos a liturgia nos relembra e nos convida a celebrar esses acontecimentos da vida de Jesus que se entregou ao Pai como Vítima Perfeita e sem mancha para nos salvar da escravidão do pecado e da morte. Crer nos acontecimentos da Paixão, Morte e Ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo, é crer no mistério central da nossa fé, é crer na vida que vence a morte, é vencer o mal, é também ressuscitar com Cristo e, com Ele Vivo e Vitorioso viver eternamente. É proclamar, como nos diz São Paulo: ‘“Jesus Cristo é o Senhor”, para a glória de Deus Pai’ (Fl 2, 11).

Que Jesus Cristo nos abençoe hoje e sempre!... Amém!
André Santos

Evangelho Dominical


Domingo, 17 de Abril de 2011 
Domingo de Ramos

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo, + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor!

Naquele tempo, 1Jesus e seus discípulos aproximaram-se de Jerusalém e chegaram a Betfagé, no monte das Oliveiras. Então Jesus enviou dois discípulos, 2dizendo-lhes: “Ide até o povoado que está ali na frente, e logo encontrareis uma jumenta amarrada, e com ela um jumentinho. Desamarrai-a e trazei-os a mim! 3Se alguém vos disser alguma coisa, direis: ‘O Senhor precisa deles’, mas logo os devolverá’”.
4Isso aconteceu para se cumprir o que foi dito pelo profeta: 5Dizei à filha de Sião: Eis que o teu rei vem a ti, manso e montado num jumento, num jumentinho, num potro de jumenta”.
6Então os discípulos foram e fizeram como Jesus lhes havia mandado. 7Trouxeram a jumenta e o jumentinho e puseram sobre eles suas vestes, e Jesus montou. 8A numerosa multidão estendeu suas vestes pelo caminho, enquanto outros cortavam ramos das árvores, e os espalhavam pelo caminho. 9As multidões que iam na frente de Jesus e os que o seguiam, gritavam: “Hosana ao Filho de Davi! Bendito o que vem em nome do Senhor! Hosana no mais alto dos céus!” 
10Quando Jesus entrou em Jerusalém a cidade inteira se agitou, e diziam: “Quem é este homem?” 11E as multidões respondiam: “Este é o profeta Jesus, de Nazaré da Galileia”.

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor!
 
Evangelho (após a Procissão dos Ramos, durante a Liturgia da Palavra) 
(Mt 27,11-54) - Forma breve

Narrador 1: Paixão de nosso Senhor Jesus Cristo, segundo Mateus: Naquele tempo,11Jesus foi posto diante de Pôncio Pilatos, e este o interrogou:
Ass.: “Tu és o rei dos judeus?” 
Narrador 1: Jesus declarou: 
Pres.: “É como dizes”. 
Narrador 1: 12E nada respondeu, quando foi acusado pelos sumos sacerdotes e anciãos.13Então Pilatos perguntou: 
Leitor 1: “Não estás ouvindo de quanta coisa eles te acusam?” 
Narrador 1: 14Mas Jesus não respondeu uma só palavra, e o governador ficou muito impressionado. 15Na festa da Páscoa, o governador costumava soltar o prisioneiro que a multidão quisesse. 16Naquela ocasião, tinham um prisioneiro famoso, chamado Barrabás. 17Então Pilatos perguntou à multidão reunida: 
Ass.: “Quem vós quereis que eu solte: Barrabás, ou Jesus, a quem chamam de Cristo?” 
Narrador 2: 18Pilatos bem sabia que eles haviam entregado Jesus por inveja. 19Enquanto Pilatos estava sentado no tribunal, sua mulher mandou dizer a ele: 
Mulher: “Não te envolvas com esse justo, porque esta noite, em sonho, sofri muito por causa dele”.
Narrador 2: 20Porém, os sumos sacerdotes e os anciãos convenceram as multidões para que pedissem Barrabás e que fizessem Jesus morrer. 21O governador tornou a perguntar: 
Ass.: “Qual dos dois quereis que eu solte?”
Narrador 2: Eles gritaram:
Ass.: “Barrabás”.

Narrador 2: 22Pilatos perguntou: 
Leitor 2: “Que farei com Jesus, que chamam de Cristo?
Narrador 2: Todos gritaram: 
Ass.: “Seja crucificado!”
Narrador 2: 23Pilatos falou:
Leitor 1: “Mas, que mal ele fez?” 
Narrador 2: Eles, porém, gritaram com mais força: 
Ass.: “Seja crucificado!”
Narrador 1: 24Pilatos viu que nada conseguia e que poderia haver uma revolta. Então mandou trazer água, lavou as mãos diante da multidão, e disse: 
Leitor 2: “Eu não sou responsável pelo sangue deste homem. Este é um problema vosso!”
Narrador 1: 25O povo todo respondeu: 
Ass.: “Que o sangue dele caia sobre nós e sobre os nossos filhos”.
Narrador 1: 26Então Pilatos soltou Barrabás, mandou flagelar Jesus, e entregou-o para ser crucificado. 27Em seguida, os soldados de Pilatos levaram Jesus ao palácio do governador, e reuniram toda a tropa em volta dele. 
Ass.: 28Tiraram sua roupa e o vestiram com um manto vermelho; 
Narrador 1: 29depois teceram uma coroa de espinhos, puseram a coroa em sua cabeça, e uma vara em sua mão direita. Então se ajoelharam diante de Jesus e zombaram, dizendo: 
Ass.: “Salve, rei dos judeus!” 
Narrador 2: 30Cuspiram nele e, pegando uma vara, bateram na sua cabeça. 31Depois de zombar dele, tiraram-lhe o manto vermelho e, de novo, o vestiram com suas próprias roupas. Daí o levaram para crucificar. 32Quando saíam, encontraram um homem chamado Simão, da cidade de Cirene, e o obrigaram a carregar a cruz de Jesus. 33E chegaram a um lugar chamado Gólgota, que quer dizer “lugar da caveira”. 
Narrador 1: 34Ali deram vinho misturado com fel para Jesus beber. Ele provou, mas não quis beber. 35Depois de o crucificarem, fizeram um sorteio, repartindo entre si as suas vestes. 36E ficaram ali sentados, montando guarda. 37Acima da cabeça de Jesus puseram o motivo da sua condenação: 
Ass.: “Este é Jesus, o Rei dos Judeus”. 
Narrador 1: 38Com ele também crucificaram dois ladrões, um à direita e outro à esquerda de Jesus. 39As pessoas que passavam por ali o insultavam, balançando a cabeça e dizendo: 
Ass.: 40”Tu, que ias destruir o Templo e construí-lo de novo em três dias, salva-te a ti mesmo! Se és o Filho de Deus, desce da cruz!”
Narrador 2: 41Do mesmo modo, os sumos sacerdotes, junto com os mestres da Lei e os anciãos, também zombavam de Jesus: 
Ass.:42”A outros salvou... a si mesmo não pode salvar! É Rei de Israel... Desça agora da cruz! e acreditaremos nele. 43Confiou em Deus; que o livre agora, se é que Deus o ama! Já que ele disse: Eu sou o Filho de Deus”. 
Narrador 1: 44Do mesmo modo, também os dois ladrões que foram crucificados com Jesus o insultavam. 45Desde o meio-dia até as três horas da tarde, houve escuridão sobre toda a terra. 46Pelas três horas da tarde, Jesus deu um forte grito: 
Pres.: “Eli, Eli, lamá sabactâni?”
Narrador 1: Que quer dizer: “Meu Deus, meu Deus, por que me abandonaste?” 47Alguns dos que ali estavam, ouvindo-o, disseram: 
Ass.: “Ele está chamando Elias!”
Narrador 1: 48E logo um deles, correndo, pegou uma esponja, ensopou-a em vinagre, colocou-a na ponta de uma vara, e lhe deu para beber. 49Outros, porém, disseram:
Ass.: “Deixa, vamos ver se Elias vem salvá-lo!”
Narrador 1: 50Então Jesus deu outra vez um forte grito e entregou o espírito.

(Todos se ajoelham.)

Narrador 2: 51E eis que a cortina do santuário rasgou-se de alto a baixo, em duas partes, a terra tremeu e as pedras se partiram. 52Os túmulos se abriram e muitos corpos dos santos falecidos ressuscitaram! 53Saindo dos túmulos, depois da ressurreição de Jesus, apareceram na Cidade Santa e foram vistos por muitas pessoas. 54O oficial e os soldados que estavam com ele guardando Jesus, ao notarem o terremoto e tudo que havia acontecido, ficaram com muito medo e disseram: 
Ass.: “Ele era mesmo Filho de Deus!”
 

Como praticar a devoção dos Cinco Primeiros Sábados dedicados à Virgem Maria?

"Deus quer estabelecer no mundo a devoção a meu Imaculado Coração"    Na terceira aparição, em Fátima, a 13/7/191...