O Grupo de Oração Sementes de Maria acontece todos as terça-feiras, as 19:30 com início do Santo Terço, na Capela Rosa Mística, Rua Paulina Maria Alves, 210, Loteamento, Pompéu/MG.

quinta-feira

As causas das doenças Espirituais

destes nossos tempos cada vez mais sem Deus. Já dizia o nosso saudoso papa João Paulo II: “Precisamos combater essa cultura de morte, ensinando ao nosso povo a cultua da Verdade”. Nesta “cultura” que prega o aborto, o adultério, os pecados capitais de forma engraçada e envolvente, assim estão nos enredando nos laços do maligno, com novelas, filmes, propagandas, por isso, precisamos abrir os olhos e o coração para ficarmos mais espertos. “Sede prudentes como as pombas e ágeis como as serpentes”. (cf Mateus 10,16) Os pecados capitais são doenças espirituais, que se alojam em nossa mentalidade, no nosso comportamento, atingindo a quem comete, mas também aos outros. “O pecado é uma falta contra a razão, a verdade, a consciência reta; é uma falta ao amor verdadeiro, para com Deus e para com o próximo”. (CIC A vida em Cristo, artigo 8; O Pecado).   Eles atigem gravemente a nossa alma, prejudicando também o corpo e as relações sociais, o pecado é uma doença perigosa, que mata de dentro para fora e em silencio. Ensina-nos a Igreja que “o pecado cria uma propensão ao pecado, gera o vicio pela repetição dos mesmos atos”, ai encontra-se um estagio de doença espiritual. São chamados capitais porque geram outros pecados, outros vícios, são o orgulho, a vareza, a inveja, a ira, a luxuria, a gula e a preguiça. Diagnosticar é um excelente passo para libertar-se deles, todos nós temos um pouco de cada um deles, não se escandalize. Agora vamos avaliar o que são e como agem em nós.
Orgulho: sentimento de dignidade pessoal, brio, altivez, amor próprio demasiado, soberba, que por sua vez é orgulho excessivo, arrogância, aquele que se julga elevado, acima dos outros. O orgulho tem principio positivo, pois nos da capacidade e o sentimento de preservação pessoal, dignidade, mas quando se torna desequilibrado, é capaz de subjugar os outros, passar por cima, ser sempre superior, humilhar, gera a auto-suficiência e vai ficando cada vez mais serio.
Avareza: é apego sórdido ao dinheiro. Sórdido quer dizer que vem de sordidez, estado de imundície, coisa ou pessoa suja, nojenta, repugnante, infâmia, torpeza. A pessoa avarenta se deixa escravizar e dominar pelo dinheiro ou pelos meios que levam a ele faz qualquer coisa. Ela é escrava do dinheiro e daí pode-se imaginar onde chega essa pessoa, a corrupção é um dos sintomas mais conhecidos.
Inveja: é um vicio capital que designa a tristeza sentida diante do bem do outro e do desejo incontrolado de sua apropriação, mesmo indevida, não suporta ver a alegria e o sucesso dos outros. A pessoa invejosa é capaz de roubar ou desejar o mal quando dominado por essa doença. Da inveja nasce o ódio, a maledicência, a calunia, a alegria causada pela desgraça do próximo. Enfim, inveja é arma predileta do demônio.
Ira ou raiva: é um desejo da alma em primeiro lugar contra todo o mal e o pecado, para dele se proteger, mas a ira descontrolada é um desejo de vingança, que é contrario a virtude da justiça. O ódio voluntário é contrario a caridade, quando o homem quer deliberadamente o mau do outro, e chega a cometê-lo prejudicando ou pior, quando chega através da ira a ferir e até matar o seu semelhante, isso é um pecado mortal.
Luxuria ou impureza: é um desejo desordenado, desequilibrado ou um gozo desregrado do prazer venéreo, ou seja, do prazer sexual, que por si é uma coisa boa, a nossa sexualidade é um dom de Deus e foi nos dada para nossa felicidade. A luxuria se caracteriza quando o prazer sexual é normalmente desordenado, quando é buscado por si mesmo, isolado das finalidades de união dos esposos que se amam, e da procriação, filhos que são o cume do prazer sexual, o objetivo do prazer sexual é o amor, que pensa sempre em primeiro lugar realizar o outro. Portanto, a luxuria leva ao pecado da impureza sexual, da fornicação, da pornografia, da prostituição. A pessoa fica escrava do sexo e por ele pode se vender.
Gula: Excesso na comida e na bebida, apego excessivo ao prazer da boca e do estomago, de maneira descontrolada, perdendo o senso da refeição, lugar de encontro e de experimentar o que se come. Quem controla a boca, consegue controlar o resto do corpo, dizia os santos antigos, este pecado da gula está ligado ao pecado sexual. A pessoa gulosa está escrava da comida, vive para comer e não come para viver.
Preguiça ou tibieza: Aversão ao trabalho, indolência, alguém insensível, apático, hesitação ou negligência em responder aos apelos naturais, ao amor de Deus, recusa entregar-se ao dinamismo da caridade. A pessoa preguiçosa fica quase imprestável, a tibieza ou preguiça espiritual chaga a recusar até a alegria que vem de Deus e a ter horror ao bem divino. Nossa como temos pessoas doentes em nossa sociedade, pois decidiram “matar” a Deus.
Como ficar longe de tudo isso? Lembre-se nós somos templos do Espírito Santo desde de nosso batismo, Ele é o dinamismo de Deus e a saúde de nossa alma, por isso, nos convém consultar sempre esse médico, que nos anima e nos protege com os seus dons e virtudes destas doenças espirituais. Veja: “O fruto do Espírito, porem, é: amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, lealdade, mansidão, domínio próprio. Se vivemos pelo Espírito, pelo Espírito pautemos também nossa conduta”. (cf Gálatas 5,22-25). O segredo é a vida espiritual, intimidade com Deus!
Rezemos: Pai Santo e cheio de misericórdia, que conhece os nossos corações e nossas fraquezas, dai-nos uma porção dobrada do Teu Espírito, para fortalecer a nossa alma em busca das virtudes e da santidade, e não nos deixes ser vencidos pelo pecado, mas nos rendamos ao vosso amor, que tudo perdoa. Amém
Minha benção fraterna.

Pe. Luizinho

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Como praticar a devoção dos Cinco Primeiros Sábados dedicados à Virgem Maria?

"Deus quer estabelecer no mundo a devoção a meu Imaculado Coração"    Na terceira aparição, em Fátima, a 13/7/191...