O Grupo de Oração Sementes de Maria acontece todos as terça-feiras, as 19:30 com início do Santo Terço, na Capela Rosa Mística, Rua Paulina Maria Alves, 210, Loteamento, Pompéu/MG.

segunda-feira

Não se prenda ao passado

A mulher de Ló: uma metáfora sobre o prender-se ao passado

Muitas pessoas desejam começar uma vida nova, porém, ficam presas ao passado. O olhar que deveria estar presente nos novos horizontes das possibilidades oferecidas pela vida fica perdido nos erros de um passado que já passou. Olhar em direção às possibilidades da vida é uma bonita maneira de recomeçar a caminhada. Ficar com os olhos presos a um passado mal-sucedido é dar vida a sofrimentos que já deveriam estar sepultados.
No livro de Gênesis, encontramos uma passagem em que anjos aparecem a Ló e pedem que ele e sua família deixem o território onde vivem e partam para as montanhas, pois Sodoma e Gomorra seriam destruídas. Esses seres celestes os alertaram sobre o risco que eles correriam de ser transformados em estátuas de sal se olhassem para trás na fuga. No entanto, a mulher de Ló desobedeceu, olhou para trás e se tornou uma coluna de sal (cf. Gênesis 19,17-29).
Há três tipos de pessoas: 1) as que vivem no passado; 2) as que vivem no futuro; e 3) as que vivem no presente. A mulher de Ló voltou seu olhar para Sodoma e Gomorra. Possivelmente sentiu saudade de tudo aquilo que estava deixando para trás. O gesto de voltar-se e olhar em direção a um passado pode revelar muitas coisas escondidas no coração daquela mulher.


Muitas pessoas vivem do passado. Alimentam sua vida de coisas que já se foram. Dão vida a sofrimentos que já estão sepultados. Não conseguem estabelecer uma relação saudável com o hoje de sua existência. Procuram no passado certezas que se encontram no presente.
A mulher de Ló ficou presa a um passado que não mais lhe pertencia. Por isso tornou-se uma coluna de sal. Ficou petrificada, com o olhar e o coração presos àquilo que não mais deveria ser o essencial da vida. Quando se perde o essencial da vida presente, fica-se petrificado com o coração no passado. Dar vida a um passado de sofrimentos, incompreensões, desilusões, erros, é alimentar-se de sombras.
Mesmo que desejássemos do mais profundo de nosso coração, não poderíamos fazer, nem sequer um milésimo de segundos, o que passou voltar. O que podemos fazer é nos reconciliarmos com o passado de nossa história. É vivermos o hoje como um presente de Deus. Tudo é graça! E Deus Pai nos presenteia a cada dia com o Seu amor, manifestado no dom da vida em suas múltiplas e infinitas possibilidades.
Olhar para o passado e buscar nele aquilo que não nos torna humanos é olharmos para as sombras de nossa existência e nos alimentarmos dela. Olhar o hoje de nossa história é reconhecermos a graça de Deus manifestada na esperança de um novo tempo a cada um de nós.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Como praticar a devoção dos Cinco Primeiros Sábados dedicados à Virgem Maria?

"Deus quer estabelecer no mundo a devoção a meu Imaculado Coração"    Na terceira aparição, em Fátima, a 13/7/191...