O Grupo de Oração Sementes de Maria acontece todos as terça-feiras, as 19:30 com início do Santo Terço, na Capela Rosa Mística, Rua Paulina Maria Alves, 210, Loteamento, Pompéu/MG.

sexta-feira

Magnificat, o primado da Palavra na vida de Maria

Dom Benedito Beni


Durante o Advento, ouvimos a Palava cheia de poesia e esperança do profeta Isaías, o apelo à conversão de São João Batista. Agora, no final do Advento, a liturgia coloca, diante de nosso olhos, a mulher da plenitude: Nossa Senhora.

No Evangelho, ouvimos o Magnificat de Maria, que deita raízes no Antigo Testamento. Ana, mãe do profeta Samuel, era uma mulher estéril, mas, graças a uma oração feita com fé e humildade, obteve o dom da maternidade. Depois, voltou ao templo para proclamar seu Magnificat, cheio de louvor e agradecimento.

Irmãos e irmãs, o Antigo Testamento e o Novo Testamento registram uma única história da salvação. Fatos acontecidos no Antigo Testamento são uma profecia de realidade do Novo Testamento. Ana, a mulher estéril que recebeu o dom da maternidade, é uma profecia de Nossa Senhora, a virgem do Messias, do Redentor do mundo. Esse é o contexto remoto do Magnificat. O contexto próximo nos é dado por São Lucas. Ele narra que, logo após a anunciação, Maria partiu para casa de Isabel, que simboliza a casa de Israel, todo seu povo. Maria partiu apressada.

A pressa de Maria trata-se da pressa daquela que tem uma boa notícia em seu coração, que não consegue guardá-la só para si e sente necessidade de anunciá-la aos outros.

Isabel proclamou: "Como é possível que a mãe do meu Senhor venha me visitar?". Portanto, a exclamação de Isabel significa que ela considerou Maria como a Arca da Nova Aliança, pois esta trazia em seu seio a presença de Deus no mundo.

"A canção de Nossa Senhora nos convida à alegria."


O Magnificat é o canto novo de Nossa Senhora; não só o canto da boca, mas de toda sua vida. O canto da nova criatura, da cheia de graça, da toda santa, da imaculada. Portanto, mostra o primado da Palavra de Deus na vida de Maria.

A canção de Nossa Senhora nos convida à alegria. E como são belas as palavras do Magnificat! “Minha alma engrandece o Senhor”. Ela proclama que só Deus é grande, porque Ele é o fundamento do universo. Sem a existência do Senhor não se explica a origem do mundo. Uma vida sem Deus é uma vida vazia.

“O Todo Poderoso realizou maravilhas em mim”. Hoje, devido ao progresso da ciência, há pessoas que têm dificuldade de chamá-Lo assim. Mas Deus é infinito em seu ser e em Seu poder. Ele é o Todo Poderoso e Sua misericórdia se estende de geração em geração. Por isso pode ser chamado de o Pai das Misericórdias, porque para ela não há limite. Santo é Seu nome; Deus é o santo, pois é afastado de todo pecado, mas sua santidade não é estática.

Caro monsenhor Jonas, hoje, o senhor se associa ao Magnificat de Maria para louvar e agradecer a Deus pelo dom da vida. Quando, pela primeira vez, tomamos consciência de nossa presença no mundo, nos percebemos como depositários dos dons da vida, responsáveis por nossa vida e de nossos semelhantes. A vida é dom e tarefa, por isso não pode ser desperdiçada. São valores mais altos que dão sentido à nossa vida.
"Monsenhor Jonas, hoje, o senhor se associa ao Magnificat de Maria para louvar e agradecer a Deus pelo dom da sua vida."
“O que quiser salvar a sua vida, perdê-la-á; mas o que perder a sua vida por amor de mim e do Evangelho, salvá-la-á” (Marcos 8,35).

Monsenhor Jonas, na sua ordenação sacerdotal, colocou sua vida em função desses valores altos, por isso sua vida tornou-se cheia de frutos não só para a Canção Nova, não só para sua diocese de Lorena (SP), mas para toda a Igreja Universal. Que, nesse dia, o Espírito Santo encha sua vida de muita luz e que Deus o conserve por muito tempo entre nós. Amém.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Como praticar a devoção dos Cinco Primeiros Sábados dedicados à Virgem Maria?

"Deus quer estabelecer no mundo a devoção a meu Imaculado Coração"    Na terceira aparição, em Fátima, a 13/7/191...